Google+ RECOPIA Seu Canal fora do Youtube: Cachorro
Mostrando postagens com marcador Cachorro. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cachorro. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Vídeo - Homem adota cachorro que fez xixi em suas costas, marcou território


Heinze Sánchez, de 27 anos, estava distraído mandando mensagem para uma garota no aplicativo de paquera Tinder quando foi surpreendido por um cachorro que fez xixi em suas costas, na sexta-feira (13). O momento foi registrado por uma câmera de segurança do local e fez sucesso na internet.

Os primeiros minutos foram de indignação, mas, logo depois, o sentimento de Heinze se transformou e ele decidiu adotar o animal, que agora se chama Enzo Sánchez e tem um lar para viver.


O estudante de educação física contou ao G1 que estava sentado no meio-fio de uma rua em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, porque queria dar um “bom dia diferente” para a menina com quem falava e que só percebeu o que havia acontecido porque sentiu um “líquido quentinho”.

“Eu estava concentrado. Só percebi porque senti aquele negócio quente escorrendo pelas minhas costas. Fiquei indignado na hora, mas em nenhum momento quis machucar o animal. Quando dou o chute, minha perna estava bem longe do cachorro, foi mais para dar o susto”, explicou.

Mas quase que Heinze perde a paquera por conta do incidente. “Eu parei de responder a conversa, depois vi que a menina tinha mandando várias mensagens perguntando por que eu não queria mais falar com ela. Tive que explicar que um cão tinha mijado em mim”, divertiu-se.

Heinze ficou sabendo que o vídeo estava circulando na internet porque um homem no metrô estava comentando sobre o caso. “Eu estava indo para a praia do Arpoador e tinha um cara falando do vídeo dentro do metrô. Pedi para ver a imagem e foi assim que percebi que era eu”, contou ele, que chegou a ser ameaçado por algumas pessoas que acharam que ele queria agredir o bicho.


“Nunca faria isso, tanto que voltei lá no dia seguinte para procurar o cachorro. Ele estava lá. Perguntei aos moradores se ele tinha dono e disseram que não. Estava chovendo no dia e, assim que o chamei, ele veio na hora esfregando a cabeça em mim.” G1 Vídeo abaixo:






Fonte: www.verdinhoitabuna.blog.br

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Cachorro invade casamento, deita no véu da noiva e é adotado

A reação inesperada da servidora pública Marília Pieroni ao perceber 'penetra' em seu casamento (Felipe Paludetto/Arquivo pessoal)

Dois anos planejando o casamento dos sonhos em uma rotina puxada. E nem isso poderia preparar a servidora pública Marília Pieroni, 28 anos, e o projetista Matheus Martins, de mesma idade, para o que estava por vir.

Uma chuva intensa ameaçava estragar a cerimônia (com cobertura improvisada), além de um “penetra” em busca de abrigo: um cachorro de rua que entrava e saía do salão, deixando todos os convidados apreensivos e se alojando no tapete da entrada principal.
“Eu não entendia o que estava acontecendo. Estava no carro e a cerimônia estava demorando demais para começar, mas eu não sabia o porquê”, conta Pieroni a VEJA.

A resposta veio no altar, quando o cachorro se deitou preguiçosamente sobre sua vestimenta. “Ele deitou no meu véu!”, respondeu com espontaneidade e um riso. “Deve saber que eu amo”. Os convidados respiraram aliviados e o “penetra” se tornou convidado especial na festa.

O relato de seu amigo Sisnando de Luca, comemorando a felicidade matrimonial que imprevisto nenhum poderia abalar, conquistou o Facebook e tem, até o momento, 6.784 curtidas e 888 compartilhamentos.

“É um pouco desgastante a organização, porque parece que nada vai sair como o previsto”, revela a servidora. E nada saiu, mesmo. “Às vezes a gente planeja tanto para que nada errado aconteça e coisas assim dão um toque especial. Ficou mais perfeito ainda.”
Final duplamente feliz

O cachorro, logo apelidado de ‘Snoop’, continuou na festa e conquistou a simpatia dos convidados. “Antes da minha reação, muitos convidados não estavam gostando de sua presença, pensando que ia estragar a festa e me deixar desapontada. Depois, parece que quebrei o gelo”.

Snoop, o novo membro da família (Marília Pieroni/Arquivo pessoal) 

Antes sofrendo tentativas de ser espantado a todo custo para deixar a noiva entrar, Snoop continuou por perto recebendo mimos – e muita comida – durante o evento. Mas, tão repentinamente quanto chegou, foi embora.

“Sempre morei com gato, cachorro, coelho, tartaruga, hamster, peixe… Eu sou a louca dos bichos”, conta Marília, cuja gatinha de estimação, Lola, faleceu pouco antes do casamento. “Estava muito triste, mas depois lembrei do acontecido e pensei: ‘Acho que é a Lola voltando”.

A recém-casada foi em busca do cachorro, sem sucesso. Até que uma senhora que o alimentava quando passava pela rua ficou sabendo de sua história e a ajudou a reencontrar Snoop, que agora integra a família. “Fiquei encantada com a inocência dele ao deitar no meu véu, achei uma belezinha”, conclui.





Fonte: http://veja.abril.com.br    Por Por Luísa Costa

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Quando os cães se tornaram os melhores amigos do homem?


Existe mais de uma teoria a respeito, mas é muito provável que a domesticação ocorreu entre 11 mil e 15 mil anos atrás. Nessa época ainda não havia cães como conhecemos hoje, mas lobos selvagens que foram sendo amansados - só muitas gerações depois eles dariam origem às raças de cachorros. A data e região precisa onde isso aconteceu ainda é motivo de controvérsia. "O momento exato da domesticação permanece obscuro, especialmente porque deve ter sido um processo gradual", afirma o veterinário Mauro Lantzman, especialista em comportamento animal. Pesquisadores acreditam que a domesticação começou com a seleção de fi- lhotes de lobos cinzentos (Canis lupus) que viviam ao redor de acampamentos humanos. Esses animais se alimentavam de restos de comida deixados pelos homens. Nossos ancestrais logo perceberam que alguns eram mais dóceis que outros e viram uma vantagem em tê-los por perto: os lobos davam o alarme quando outros animais ferozes se aproximavam dos acampamentos. Foi com essa ajuda boa pra cachorro que nasceu uma das mais longas amizades entre animais de diferentes espécies.

Mundo cão
Primeiros lobos domesticados podem ter surgido no Iraque ou no leste da Ásia

Teoria Iraque

Alguns achados arqueológicos apontam que a domesticação dos primeiros canídeos ocorreu há 11 mil anos na atual região do Iraque. A partir daí, os cães se disseminaram pela Europa, Ásia e Américas junto com o homem. Os lobos teriam sido os primeiros animais domesticados pelo homem

Teoria Leste Asiático
Uma nova teoria, formulada pelo cientista Peter Savolainen, do Instituto Real de Tecnologia de Estocolmo, na Suécia, aponta que lobos primitivos foram domesticados bem antes, há 15 mil anos no leste da Ásia, provavelmente no que hoje é a China. A teoria de Savolainen se baseia em análises de DNA de cães e lobos





Fonte: http://mundoestranho.abril.com.br    Por Yuri Vasconcelos

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Agora seu cachorro pode tirar e postar fotografias sozinho


Você criou uma página no Instagram ou no Facebook para seu fofo cachorro. Mas você está cansado de tirar fotografias para ele, afinal, ele já está bem grandinho para fazer o próprio trabalho, certo? Seus problemas acabaram!

Uma novidade um tanto peculiar (mas que promete ser um sucesso) da Pedigree na Espanha permite que o cachorro tire suas fotografias sozinho. A inveção foi batizada de "The Posting Tail".

Se as pessoas tiram fotos e as postam quando estão felizes e gostam de algo, o animal fará o mesmo. Graças a um dispositivo que detecta quando o cão está contente, as fotografias tiradas serão, automaticamente, de bons momentos.

A invenção consiste em uma veste para o animal munida de sensores, 3G, câmera e processador. Quando o cão está feliz, o rabo dele começa a balançar de um lado para o outro. Pois o sensor capta esse movimento e dispara a câmera frontal, que fotografa o que ele está vendo.

As fotografias são enviadas diretamente para a rede social sincronizada com a roupa. Agora é só dar like.

No site oficial, é possível conhecer mais sobre o produto. Já na página do Facebok da marca, é possível concorrer a um teste do Posting Tail.

¿Quieres probar The Posting Tail by Pedigree®? Comparte en los comentarios la foto de tu perro indicando tú localidad y... Publicado por Pedigree España em Terça, 12 de abril de 2016

Por enquanto, tudo ainda está em fase de testes e não há previsão de vendas.

Confira o comercial que explica a invenção. A criação foi da Saatchi & Saatchi de Madrid.








Fonte: http://exame.abril.com.br Por Guilherme Dearo
Comercial da Pedigree Espanha: invenção que permite cachorro tirar fotografias sozinho 

sábado, 9 de setembro de 2017

Cérebros humano e canino têm a mesma reação a vozes, sugere estudo


Donos de cachorros costumam afirmar que seus animais de estimação conseguem entendê-los. Um novo estudo publicado no periódico "Current Biology" sugere que essas pessoas podem estar certas.

Ao colocar cães em um equipamento de ressonância magnética, pesquisadores húngaros descobriram que o cérebro desses animais reage da mesma forma que um cérebro humano a vozes de pessoas.

Outros sons carregados de emoção, como choro ou risadas, também geraram reações parecidas, o que talvez explique o fato de cachorros conseguirem se sintonizar às emoções de seus donos, afirmam os pesquisadores.

"Acreditamos que cães e humanos têm um mecanismo bastante similar para processar informações emocionais", disse Attila Andics, da Universidade Eotvos Lorand e coordenador do estudo.


Sintonia

A pesquisa envolveu 11 cães de estimação e comparou seus resultados aos de 22 voluntários humanos.

Próximo passo do estudo é checar como o cérebro de cães reage quando eles ouvem palavras
(Foto: Eniko Kubinyi/BBC) 

Para ambos os grupos, os cientistas tocaram 200 tipos diferentes sons, desde ruídos comuns, como o barulho de carros e de apitos, a sons emitidos por humanos (sem palavras) e por cães.

Os pesquisadores descobriram que uma região semelhante do cérebro - o polo temporal, que faz parte do lobo temporal - é ativada quando cães e pessoas ouvem vozes humanas.

"Já sabíamos que certas áreas no cérebro humano respondem mais fortemente a sons humanos do que a qualquer outro tipo de som", explicou Andics. "É uma grande surpresa isso ocorrer também no cérebro canino. É a primeira vez que vemos algo assim em um animal que não seja um primata."

O mesmo aconteceu quando sons como risadas e choros foram ouvidos. Uma área do cérebro conhecida como córtex auditivo primário foi ativada tanto em cachorros quanto em humanos.

Ao mesmo tempo, vocalizações caninas carregadas de emoção - como ganidos e latidos ferozes - também geraram uma reação parecida em todos os voluntários.

"Sabemos muito bem que cachorros conseguem se sintonizar ao sentimento de seus donos, e sabemos que um bom dono consegue identificar mudanças emocionais em seu cão - mas agora podemos começar a entender como isso é possível", afirmou Andics.

No entanto, apesar de os cachorros reagirem à voz humana, suas reações foram bem mais fortes em relação aos sons caninos. Os cães também parecem ser menos capazes de distinguir entre ruídos e sons vocais em comparação com humanos.


Palavras
Ao comentar sobre a pesquisa, Sophie Scott, do Instituto de Neurociência Cognitiva da Universidade College London, disse: "Os cães são animais muito interessantes de se investigar porque muitos de seus traços os tornam dóceis em relação aos humanos. Alguns estudos mostram que eles entendem muitas palavras e o que queremos dizer quando apontamos para alguma coisa".

Mas Scott acrescenta: "É algo bastante relevante encontrar isso em cães e não só em primatas, mas seria interessante também ver a reação desses animais a palavras. Risos e choros são parecidos com sons animais e por isso podem gerar esse tipo de reação."

"Um avanço seria demonstrar sensibilidade dos cães a palavras no idioma de seus donos." .Segundo Andics, este será o foco da próxima série de testes da pesquisa.

Estudo mostrou que a mesma região do cérebro de cães e humanos é ativada pelo som de vozes (Foto: Borbala Ferenczy/BBC)


terça-feira, 5 de setembro de 2017

Cachorro vs. Mulher



Mulheres costumam declarar que quanto mais elas conhecem os homens mais elas admiram os cães (e com razão). Alguns bons motivos para você comprar um cão e não uma mulher...

•Cachorros adoram quando o dono traz os amigos em casa

•Cachorros não se importam se você usar o shampoo dele

•Cachorros são bem-humorados

•Cachorros não fazem compras

•Cachorros adoram quando você deixa um monte de coisas no chão

•Cachorros têm o mesmo humor todos os dias do mês

•Cachorros nunca querem saber sobre o seu passado

•Os pais do cachorro nunca vêm lhe visitar

•Se você trancar um cachorro e uma mulher na mala do carro por cinco horas, adivinhe quem vai ficar todo feliz em te ver?

•Cachorros nunca o criticam

•Cachorros não se incomodam com o futebol

•Cachorros não tem sua autoestima baseada na sua comparação e competição com os outros cachorros.

•Você não precisa esperar o cachorro se arrumar

•Cachorros adoram quando você está bêbado

•Cachorros não se importam se você não toma banho

•Cachorros não reclamam se você chega tarde em casa

•Cachorros não usam cartão de crédito

•Cachorros nunca abandonam seu dono

•Cachorros ao latir é só mandar calar...

•Cachorros não usam o telefone...

•Cachorros não pedem pensão.

•Cachorros não tem dor de cabeça na hora do sexo. (meu deeuus!Que absurdo!)





Fonte: Desciclopédia

terça-feira, 29 de agosto de 2017

A forma certa de calcular a 'idade humana' de cães e gatos (Não basta multiplicar por 7!)


A antiga regra de cálculo da idade dos animais em idade humana era bastante simples: multiplicar por sete. Levando em consideração tal multiplicação guia, um gato de três anos teria idade equivalente a um jovem adulto, de 21. Enquanto um cachorro de dez anos seria praticamente como um idoso em nosso mundo.

Felizmente, tal explicação não aborda exatamente todo o quadro de como se deve considerar a idade de um animal.

Na realidade, o processo de envelhecimento de um cachorro durante os primeiros anos de sua maturação é acelerado, enquanto após este, o processo se retarda. Na realidade, depois de um ano, um cachorro pode ser considerado um humano de quinze anos de idade.

Além disso, a raça específica a qual o animal pertence também é um fator em sua longevidade. Cães menores tendem a ter mais aos de vida que cães médios, que costumam viver ainda mais que raças grandes.

“Embora pequenas raças vivam mais que grandes raças, as primeiras tendem a envelhecer mais rapidamente nos primeiros anos de vida”, comentou Kan, responsável pelo Hospital Veterinário de Lawrence, nos Estados Unidos. “Um grande cão pode demorar mais para amadurecer, mas ser considerado um idoso aos cinco anos. Já, pequenas raças não se tornam ‘senhores’ antes dos dez anos”, completou.

E os nossos amigos felinos? Como ficam nesta situação? Como os cães, a maturação é mais acelerada nos primeiros anos e eles tendem a chegar à fase adulta rapidamente. No entanto, o envelhecimento diminui com o passar dos anos. De acordo com o 'International Cat Care’, grupo responsável por proteção de gatos, um animal comum ano é equivalente a um humano com quinze.

Já no seu segundo aniversário, os gatos podem ser comparados a um adulto na metade dos vinte anos. A partir daí, pode-se adicionar quatro anos à idade do animal, a cada 'ano humano’ subsequente.






Fonte: https://br.noticias.yahoo.com
Imagem: http://dicas.guiamais.com.br/pets/como-calcular-a-idade-de-cachorros/

terça-feira, 22 de agosto de 2017

É por isso que ela só vai levar o violão e o cachorro - 'Cão leão' é vendido por R$ 4,4 milhões em evento na China


Um mastim tibetano foi vendido na China por quase dois milhões de dólares, uma das maiores quantias pagas por um cão no mundo, informa a imprensa chinesa.

O comprador, um rico promotor imobiliário, pagou 12 milhões de yuanes (mais de R$ 4,4 milhões) para adquirir o animal de um ano de idade e 90 kg em uma exposição na província de Zhejiang, informa o jornal "Qianjiang".

Os mastins tibetanos são comparados frequentemente aos leões por sua impressionante semelhança. A raça passou a ser muito cobiçada pelos milionários chineses e virou símbolo de status social.

O preço dos animais disparou nos últimos anos.

"Têm sangue de leão e são a flor e a nata dos machos reprodutores na família dos mastins", afirmou o criador Zhang Gengyun ao jornal Qianjiang.

A raça, que em alguns casos pode ser agressiva, se adapta às condições climáticas extremas e à altitude. Tradicionalmente os mastins são muito apreciados pelos pastores nômades da Ásia Central.

Os proprietários os consideram bons cães de guarda e muito leais.





Fonte: http://g1.globo.com

sábado, 19 de agosto de 2017

Os cachorros sentem emoções comparadas às de uma criança


Nos últimos anos, vários estudos científicos têm demonstrado que os cachorros podem chegar a sentir emoções de forma similar aos seres humanos.

Um estudo da Universidade de Emory, em Atlanta, nos Estados Unidos, mostrou que os cães podem ter sentimentos iguais aos de uma criança.

O nível de sensibilidade entre as duas espécies é muito semelhante.

Os cães têm a mesma sensibilidade de uma criança

Assim, foi demonstrado no estudo realizado pelo neurologista Gregory Bens que, depois de um teste realizado com vários cães, incluindo seu próprio cachorro, os cães possuem a mesma sensibilidade que uma criança.

O experimento consistiu em usar vários cães e colocá-los sob um scaner de ressonância magnética. Ao londo do exame, os cães recebiam diferentes tipos de estímulos que geravam alguma atividade cerebral.

Segundo a pesquisa, a atividade cerebral dos cães aumentava à medida em que recebia sinais que estavam relacionados com a alimentação ou com os odores de pessoas conhecidas.

Os cachorros podem ser otimistas ou pessimistas?

Por outro lado, um estudo também relacionado com as emoções nos cachorros, demonstrou que os cães, assim como os seres humanos, podem apresentar sentimentos de otimismo ou pessimismo.

Isto é, quando um cão é deixado sozinho em casa, ele se angustia e demonstra claramente com seus latidos, destruindo coisas ou fazendo suas necessidades fisiológicas no interior da casa.

Neste sentido, o estudo revelou que os cães estavam ansiosos quando foram deixados sozinhos e que apresentaram comportamentos pessimistas.

O professor Mike Mendl é o responsável pelo grupo de pesquisa da Universidade de Bristol, no Reino Unido, onde foi conduzido o estudo.

Em diversos meios de comunicação, ele declarou que a sua equipe foi capaz de desenvolver um novo método para estudar as decisões pessimistas ou otimistas em cães.

Os pesquisadores realizaram o estudo com 24 cães que haviam entrado recentemente em um refúgio de reassentamento no Reino Unido.

Um pesquisador interagia com cada cão em uma sala isolada por aproximadamente 20 minutos.

No dia seguinte, o cão era levado de volta para a sala e, em seguida, era deixado sozinho por um período de cinco minutos, tempo em que o comportamento do animal estava sendo capturado em vídeo.

Durante esses cinco minutos sozinho na sala, os pesquisadores observaram que o cachorro começou a latir, a pular sobre os móveis e arranhou a porta. Estes comportamentos foram repetidos por animais diferentes.

Com o objetivo de estudar a tomada de decisão nos mesmos cães, os pesquisadores colocaram, em um lugar da sala, um prato de comida e um outro que estava vazio. Ambos os recipientes foram colocados em locais diferentes.

Os cães que corriam rapidamente para esses dois locais diferentes, como se esperassem a recompensa de comida, foram classificados como relativamente otimistas, enquanto que os que não se aproximavam da tigela, foram considerados pessimistas.

Mendl disse: “Sabemos que os estados emocionais das pessoas afetam seus julgamentos e que pessoas felizes são mais propensas a julgar uma situação ambígua de forma positiva. Através do nosso estudo, foi demonstrado que isso também se aplica aos cães “.

Os resultados sugerem que o comportamento considerado como problemático para os donos também tem um significado emocional para os animais, mesmo que o comportamento em si mesmo não esteja sendo demonstrado.

Além disso, surge a possibilidade de que alguns cães possam ser mais propensos a responder com ansiedade quando são deixados sozinhos.

Isso é importante porque o comportamento relacionado com a separação é comum em cães, por conseguinte, prever esse comportamento pode servir para tratá-los de forma correta, de modo que eles possam alcançar um estado de bem-estar.

Que outras coisas os cachorros podem sentir?

Outros estudos têm sugerido que os cachorros podem experimentar emoções negativas como acontece com os seres humanos, incluindo o equivalente a certas condições psicológicas crônicas e agudas, como a depressão.

Da mesma forma, há alguns anos, os sintomas parecidos com depressão clínica, as neuroses e outras condições psicológicas foram, em geral, aceitas dentro do que se tornou conhecida como emoção canina.

Por outro lado, outros estudos revelaram que os cães também podem ficar com ciúmes. Este tipo de comportamento, em que um animal sente-se frustrado com o que acontece com os outros, também tem sido observada nos macacos.

Nos cães, segundo os pesquisadores, este tipo de comportamento provavelmente deve-se à estreita relação que os cachorros têm com os seres humanos.





Fonte: https://osegredo.com.br
imagem: tudosobrecachorros.com.br

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Pesquisas mostram que cães entendem expressões faciais


Os cães podem entender seus donos mais do que imaginamos. De acordo com uma pesquisa publicada nesta quinta-feira no periódico Current Biology, os cachorros sabem diferenciar quando humanos fazem uma expressão feliz ou irritada.

Os autores treinaram animais para que eles conseguissem distinguir imagens de pessoas fazendo cara de felizes e de bravas. Durante o experimento, os cães viam apenas a metade superior do rosto das pessoas, em quinze pares de fotos. Em uma segunda etapa, os cientistas fizeram testes para verificar se os cães tinham realmente aprendido o conceito: com fotos da parte superior, da inferior e da metade esquerda de rostos novos e repetidos.

Resultado

Em todos os cenários, os cães selecionam as expressões certas mais vezes do que poderia ser considerado acaso. Com isso, os pesquisadores concluíram que os cachorros não apenas podem ser ensinados a reconhecer expressões faciais, mas são capazes de aplicar esse conhecimento a novas situações.

Os pesquisadores consideram difícil avaliar o que a diferença nas expressões significa para os animais. “Para nós é provável que os cães associem o sorriso a um significado positivo e a expressão irritada a algo negativo”, afirma Corsin Müller, pesquisador da Universidade de Medicina Veterinária de Viena e um dos autores do estudo.

Na pesquisa, os autores reportam que os cães levaram mais tempo para associar a expressão brava com uma recompensa, o que sugere que eles já tinham alguma noção de seu significado.





terça-feira, 8 de agosto de 2017

Cães perseguem seu carro?? Então leia isso!!!


Os cães fazem isso por puro instinto!!!

Os cães são originalmente predadores e possuem vários instintos, dentre eles estão: Caçar (cão caçador), manter os animais no lugar (cão de pastoreio) e territorialista ( manter o território).

Para eles, qualquer coisa em movimento pode ser uma presa ou está invadindo seu território ou está deixando o território sem permissão, no caso de eles perseguirem um carro por exemplo, ou estão afugentando um intruso de seu território ou estão tentando manter o que pertence ao seu território.

Se você parar para perceber, cães gostam de perseguir muitas coisas que se movem, bolinhas, gravetos, gatos, esquilos, galinhas, crianças correndo, carros, motos, bicicletas,etc...

Cães que fazem isso não estão doentes, nem tem algum problema...eles apenas estão agindo instintivamente, pois tudo que se move desperta os instintos deles.

O problema é que ao perseguir carros, eles podem se machucar, serem atropelados e até provocar um acidente, e ao perseguir um animal menor que eles, eles pode machucar o animal...então fique de olho.






terça-feira, 19 de abril de 2016

Cachorro se recusa a sair de perto do tutor que morreu atropelado

O cão ficou perto de seu tutor até o último momento. (Foto: Reprodução / Twitter / esteban_1181)

Não é fácil entender e aceitar a morte repentina de entes queridos. E isso se torna ainda mais complexo na cabeça dos cães.

No Chile, um rapaz chamado Leonardo Valdés estava passeando com seu cão Doki quando foi atropelado. Infelizmente, ele faleceu na hora e seu cachorro permaneceu ao seu lado.

Quando a equipe de resgate chegou ao local, encontrou o cão deitado perto do rapaz e estava visivelmente triste.

Um membro do corpo de bombeiros publicou uma foto nas redes sociais e essa cena de cortar o coração se espalhou rapidamente.

Doki está sob os cuidados da família de Leonardo e também acompanhou o velório do tutor.

Essa é mais uma história de lealdade que explica porque o cachorro é considerado o melhor amigo do homem.





Fonte: http://portaldodog.com.br

terça-feira, 5 de abril de 2016

Cachorro recebe maior condecoração militar

Sargente americano Christopher Willingham, EUA, com pastor-alemão Lucca que recebeu a medalha de Dickin   em Londres, 5 de  Abril,  2016.
© AP Photo/ Frank Augstein

Pastor-alemão Lucca, que perdeu uma pata durante o serviço militar no Afeganistão e Iraque, recebeu a medalha de Maria Dickin, a maior condecoração militar da Grã-Bretanha para os animais, informa o site da organização de proteção dos animais PDSA.

A cerimônia teve lugar em Londres, cidade para onde o cachorro de 12 anos viajou, pois vive nos EUA com o seu dono, o sargento Cris Willinguem.

O cachorro serviu nos fuzileiros navais dos EUA buscando minas. Em 2012 ele sofreu um acidente no Afeganistão devido a uma explosão e perdeu uma pata dianteira.
Depois do acidente, ele foi “aposentado”.


Lucca se tornou o 67º cachorro a merecer tal honra. A condecoração foi introduzida em 1943 por Maria Dickin, fundadora da PDSA.

​A medalha é feita de bronze e representa a coroa de louros com as palavras “Pela coragem” e “Nós também servimos”.
Em anos diferentes, a medalha já foi atribuída a cachorros, gatos, cavalos e pombos.






domingo, 2 de agosto de 2015

Homem arrisca a vida para salvar seu cão durante incêndio

O australiano Mark Woodbury enfrentou o pior pesadelo de qualquer tutor: encontrar a casa em chamas enquanto seu cachorro está dentro. E ele não pensou duas vezes antes de salvar a vida de seu melhor amigo.

Mark Woodbury salvou a vida de seu cachorro Ditch. (Foto: Reprodução / The Dodo)

Ele tinha ido à uma loja de pesca e ficou fora por apenas 10 minutos. Quando voltou, o incêndio já tinha tomado conta da casa.

Mark sabia que teria que agir rapidamente para retirar o cão Ditch do local:

A primeira coisa que pensei foi no Ditch. De jeito nenhum eu iria deixar meu cachorro morrer queimado. Meu cão é tudo pra mim.

Arriscando a própria vida, Mark entrou na casa em chamas para resgatar Ditch. Por causa do calor e da fumaça, ele demorou um pouco para encontrar o cachorro.

Mas assim que localizou Ditch, o homem carregou o cão para fora da casa e fez massagem cardíaca. Isso o manteve vivo até a chegada do resgate.

O cachorro foi levado à um hospital veterinário e sua situação é estável.

Mark perdeu tudo no incêndio, mas afirma que seu cachorro é mais importante do que as coisas materiais.

Ditch, que é um pastor alemão mix e tem 4 anos, foi adotado pelo australiano.




Por: Karina Sakita
Fonte: The DodoLeia mais: http://portaldodog.com.br/cachorros/noticias/homem-arrisca-a-vida-para-salvar-seu-cao-durante-incendio/#ixzz3hgcZoDgn 
Follow us: @PortaldoDog on Twitter | portaldodog on Facebook

sábado, 25 de julho de 2015

Viúva de gato, mulher vai se casar com cão: "ele me dá amor incondicional"


Há oito anos, Dominique Lesbirel e Doerack se casaram. Nada curioso se o 'marido' em questão não fosse um gato, que morreu aos 19 anos por falência renal. Agora, a holandesa de 41 anos planeja repetir a façanha com um cão, que se chama Travis.

Apesar de não ter a data do casório marcada, Dominique, que tem 41 anos, já pensou nos detalhes da cerimônia. O enlace só não ocorreu ainda porque ela está respeitando o tempo de luto. "Ele me dá muita alegria e amor incondicional. Só quero celebrar isso", afirmou em entrevista ao 'Mirror'.

A holandesa é proprietária de um site que realiza casamentos entre pessoas e animais de estimação. Mas a empresa de Dominique é bastante criticada. Especialistas afirmam que esse tipo de cerimônia pode incentivar o sexo entre homens e animais. "Jamais concordaria com tais atos cruéis contra animais. Farei tudo que puder para que as pessoas tratem os animais com amor, bondade e respeito", assegurou a noiva.





quinta-feira, 12 de março de 2015

Cachorro de rua se vinga e destrói veículo de homem que chutou nele

Um cachorro provou que vingança é um prato que se come frio. De acordo com informações do 'The Independent', um animal dormia tranquilamente em uma vaga de estacionamento na cidade de Chongqing, na China, quando foi acordado a chutes por um homem que desejava parar o carro no local.

(Foto: Reprodução/The Independent)

Um dia depois, o cão voltou acompanhado e começou a destruir o veículo. Com mordidas, os animais quebraram parte do paralama e o para-brisa do carro.

As imagens foram registradas por um morador. A testemunha fez questão de afirmar que o chute do agressor provocou a reação vingativa dos cães.

O motorista não será punido pelas autoridades, já que a China não possui leis que combatam a crueldade contra animais sem donos.



(Foto: Reprodução/The Independent)





Fonte: www.correio24horas.com.br

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Pesquisas mostram que cães entendem expressões faciais


Os cães podem entender seus donos mais do que imaginamos. De acordo com uma pesquisa publicada nesta quinta-feira no periódico Current Biology, os cachorros sabem diferenciar quando humanos fazem uma expressão feliz ou irritada.

Os autores treinaram animais para que eles conseguissem distinguir imagens de pessoas fazendo cara de felizes e de bravas. Durante o experimento, os cães viam apenas a metade superior do rosto das pessoas, em quinze pares de fotos. Em uma segunda etapa, os cientistas fizeram testes para verificar se os cães tinham realmente aprendido o conceito: com fotos da parte superior, da inferior e da metade esquerda de rostos novos e repetidos.

Resultado

Em todos os cenários, os cães selecionam as expressões certas mais vezes do que poderia ser considerado acaso. Com isso, os pesquisadores concluíram que os cachorros não apenas podem ser ensinados a reconhecer expressões faciais, mas são capazes de aplicar esse conhecimento a novas situações.

Os pesquisadores consideram difícil avaliar o que a diferença nas expressões significa para os animais. “Para nós é provável que os cães associem o sorriso a um significado positivo e a expressão irritada a algo negativo”, afirma Corsin Müller, pesquisador da Universidade de Medicina Veterinária de Viena e um dos autores do estudo.

Na pesquisa, os autores reportam que os cães levaram mais tempo para associar a expressão brava com uma recompensa, o que sugere que eles já tinham alguma noção de seu significado.





terça-feira, 5 de agosto de 2014