Google+ RECOPIA Seu Canal fora do Youtube: Rap na Parada
Mostrando postagens com marcador Rap na Parada. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Rap na Parada. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Pense e Reflita - Sobrevivência - Liz Rodrigues/Eminem - Survival

Isso é a sobrevivência do mais apto
Isso é fazer ou morrer
Isso é o vencedor leva tudo




O Rap God - Eminem


Eminem, nome artístico de Marshall Bruce Mathers III (St. Joseph, 17 de outubro de 1972), é um rapper, compositor, produtor musical e ator estadunidense. Adquiriu rápida popularidade em 1999 com o lançamento do disco The Slim Shady LP, o qual venceu o Grammy Award de Melhor Álbum de Rap do ano. O seu próximo trabalho, The Marshall Mathers LP, se tornou o álbum solo mais vendido na história dos Estados Unidos. Tal fato o tornou conhecido no mundo inteiro, e ajudou para a divulgação de sua gravadora, a Shady Records, e do seu grupo, o D12.

The Marshall Mathers LP e o seu terceiro disco, The Eminem Show também conquistaram o Grammy Awards, tornando ele o primeiro artista a conquistar o prêmio de Melhor Álbum de Rap do ano por três vezes consecutivas. Em 2003, venceu o Oscar de melhor canção original com "Lose Yourself", que esteve presente no seu filme semi-biográfico 8 Mile. "Lose Yourself" iria se tornar o single que por maior tempo ocupou a primeira posição das paradas de hip hop. Em 2004, boatos sobre o fim de sua carreira foram anunciados após o lançamento do álbum Encore, que foram encerrados com o anunciamento de Relapse, oficialmente disponibilizado em 15 de maio de 2009. De acordo com a Nielsen SoundScan, Eminem é o artista que mais vendeu na década nos Estados Unidos e atualmente está na 30ª posição de recordistas de vendas de discos da história do país segundo o ranking da RIAA, e no mundo tem cerca de 115 milhões de álbuns vendidos, tornando-o um dos artistas recordistas de vendas de discos. Em 2010, lançou Recovery, no qual estava presente o single "Love the Way You Lie", que foi um enorme sucesso comercial. Recovery tornou-se o sexto álbum consecutivo de Eminem a estrear na primeira posição das paradas do Estados Unidos. De início, o álbum ficou por cinco semanas consecutivas no topo, retornando posteriormente para outras duas, e somando sete semanas em primeiro lugar, no total.

Eminem foi escolhido como o 79º na lista dos "100 Melhores Artistas de Todos os Tempos" da VH1. Em uma lista similar, foi ranqueado em 82º pela revista Rolling Stone. Incluindo o trabalho com o D12, Eminem acumula 9 álbuns no topo da Billboard Top 200, sendo 7 solo (6 de estúdio, 1 compilação) e 2 com o D12. Ele tem 13 singles na primeira posição em todo o mundo. Tal sucesso fez Eminem ser reconhecido pela Billboard como o Artista da Década. De acordo com a mesma Billboard, o rapper teve dois dos cinco álbuns mais vendidos entre 2000 e 2009. Eminem também já vendeu mais de 17 milhões de downloads de suas músicas apenas nos Estados Unidos. Em 2010, a MTV classificou Eminem como o sétimo maior ícone da história da música pop. Em 2009 Eminem foi eleito, em votação popular,o melhor rapper de todos os tempos pela revista Vibe,vencendo Tupac na final.


Infância e juventude

Nascido em St. Joseph, Missouri, foi o único filho de Deborah Nelson Mathers-Briggs e Marshall Bruce Mathers, Jr. Sua ascendência é diversificada, incluindo ancestrais escoceses, galeses, ingleses, alemães, suíços, polacos e possivelmente luxemburgueses. Seu pai abandonou a família quando ele tinha um ano e meio, e Marshall foi criado apenas pela mãe em condições de pobreza. Aos doze anos, ele e a sua mãe Deborah já haviam se mudado várias vezes e vivido em diversas cidades e vilas de Missouri (incluindo Saint Joseph, Savannah e Kansas City), antes de se estabelecerem em Warren, Michigan, um subúrbio de Detroit.

Após ter obtido uma cópia do álbum Licensed to Ill, do grupo Beastie Boys quando era adolescente, Marshall se interessou pelo hip hop, fazendo raps amadores aos 14 anos, sob o pseudônimo de "M&M". Pouco tempo depois, ele entrou no grupo Bassmint Productions, que lançou um EP intitulado Steppin' onto the Scene. Após o lançamento do EP, Marshall saiu do grupo e mudou seu nome artístico para "Soul Intent" e lançou em 1995 seu primeiro single, chamado "Fuckin' Backstabber", sob a gravadora independente Mashin' Duck Records. Apesar de ser aluno da Lincoln High School em Warren, ele frequentemente participava de batalhas de freestyle (improviso) na extinta Osborn High School, no lado leste de Detroit. Apesar da maior parte dos integrantes do movimento hip hop no seu estado serem descendentes de afro-americanos, Marshall acabou sendo bem aceito pelo público do hip hop underground. Após repetir a nona série duas vezes por faltas excessivas e notas baixas, ele abandonou a escola aos 17 anos.

Em 1991, seu tio materno, Ronald "Ronnie" Nelson, cometeu suicídio com um tiro de espingarda na cabeça. Marshall era muito próximo dele e ficou arrasado com tal fato; hoje, ele ostenta uma tatuagem no braço esquerdo com a escrita: "Ronnie R.I.P.".


Carreira


1992-1998: Início da carreira e Infinite


Inicialmente, assinou contrato com a FBT Productions, em 1992, comandada pelos irmãos Jeff e Mark Bass. Ele também cozinhou e lavou louça em um pequeno restaurante em St. Clair Shores por algum tempo, onde recebia um salário mínimo. Em 1996, seu álbum de estreia Infinite, gravado no estúdio "Bassmint", foi lançado através do selo independente Web Entertainment. Já com o nome artístico de Eminem, ele relembra: "Obviamente, eu era jovem e influenciado por outros artistas, e eu me lembro de vários comentários dizendo que eu parecia com Nas e AZ. 'Infinite' serviu para eu tentar descobrir qual era o meu estilo de rap, como iria soar minha voz no microfone e ao vivo. Foi uma fase de crescimento. Eu senti 'Infinite' como um álbum demo que acabou sendo pressionado para tornar-se de estúdio." Este disco incluía as dificuldades para sustentar sua filha recém-nascida Hailie Jade Scott, a dificuldade de ganhar dinheiro e o sonho de ficar rico. No início da sua carreira, Eminem colaborou com o MC Royce da 5'9" no dueto chamado Bad Meets Evil. Após o lançamento de Infinite, as lutas pessoais de Eminem contra o abuso de drogas e álcool culminou em uma tentativa frustrada de suicídio. Jimmy Iovine, presidente da Interscope Records solicitou uma fita demo de Eminem após ele ficar na segunda posição do Rap Olympics de 1997. A vitória de Eminem no evento Wake Up Show's Freestyle, na categoria Músico do Ano também facilitou para que ele assinasse contrato com uma gravadora. Iovine mostrou a fita para o produtor Dr. Dre, fundador da Aftermath Entertainment. Com o lançamento de The Slim Shady EP, Mathers foi acusado de imitar o estilo e a métrica utilizada pelo rapper Cage. Dre e Eminem começaram a gravar faixas juntos para a sua estreia em um grande selo, ao ponto de levar Marshall a fazer uma participação especial no álbum Devil Without a Cause do consagrado rapper Kid Rock. A revista de hip hop The Source destacou Eminem na coluna "Unsigned Hype" de março de 1998.


1997-1999: The Slim Shady LP

De acordo com a Revista Billboard, neste momento da vida, Eminem "havia realizado as suas ambições musicais, que eram a única forma de escapar de sua vida infeliz". Após assinar contrato com a Aftermath Entertainment/Interscope Records em 1998, Eminem lançou seu primeiro grande álbum de estúdio um ano depois. The Slim Shady LP foi fortemente baseado na produção de Dr. Dre. A Billboard elogiou o disco como "anos-luz melhor comparado ao material lançado anteriormente".Ele passou a ser um dos álbuns mais populares do ano de 1999, recebendo até o final do ano três vezes a certificação de platina da RIAA.

Junto com a popularidade do álbum, vieram diversas controvérsias em relação às letras apresentadas. Em "'97 Bonnie and Clyde", ele descreve uma viagem com sua filha para a eliminação do corpo de sua esposa. Outra canção, "Guilty Conscience", termina com o incentivo a um homem para assassinar sua esposa e o amante dela. "Guilty Conscience" marcou o início da amizade e união musical entre Dr. Dre e Eminem. Os dois companheiros de gravadora iriam trabalhar mais tarde em grandes sucessos, incluindo "Forgot About Dre" e "What's the Difference", do álbum 2001 de Dre; "Bitch Please II", "Say What You Say", "Encore/Curtains Down", "Old Time's Sake" e "Crack a Bottle" dos discos de Eminem. A parceria entre os dois fez com que Dre marcasse pelo menos uma aparição em cada álbum de Mathers.


2000-2001: The Marshall Mathers LP

The Marshall Mathers LP foi lançado em maio de 2000. Ele chegou a vender 1.760.000 cópias na primeira semana, quebrando os recordes de Doggystyle de Snoop Dogg como o álbum mais vendido de hip hop, e Oops!... I Did It Again de Britney Spears como o disco mais vendido em sua primeira semana na história dos Estados Unidos. O primeiro single lançado deste material, chamado "The Real Slim Shady", foi um sucesso e adquiriu enorme controvérsia por insultar celebridades e fazer afirmações dúbias sobre elas. Entre outras coisas, Eminem afirma que Christina Aguilera realizou sexo oral com Fred Durst e Carson Daly. Em seu segundo single, "The Way I Am", ele revela aos fãs a pressão da gravadora para fazer "My Name Is" ir para o topo das paradas. Embora Eminem parodie o roqueiro Marilyn Manson em "My Name Is", os artistas estão declaradamente amigos. No terceiro single, "Stan" (com participação da cantora pop Dido), o rapper tenta lidar com a sua fama recém-alcançada, tendo a personalidade um fã perturbado que mata ele mesmo e a sua namorada grávida, semelhante ao que acontece em "'97 Bonnie & Clyde", de The Slim Shady LP. A revista Q escolheu a canção "Stan" como a melhor música de rap de todos os tempos, e a mesma ficou em décimo em um estudo semelhante realizado pelo Top40-Charts.com. Ela se tornou tão aclamada que ficou na 290ª posição das "500 melhores músicas de todos os tempos" da revista Rolling Stone e fez com que Eminem fosse o primeiro rapper branco a ser destaque na capa da The Source. Ele foi certificado como platina nove vezes pela RIAA.

Eminem atuou ao vivo com Elton John na cerimônia do 43° Grammy Awards em 2001; a Aliança Gay e Lésbica Contra a Difamação (GLAAD), uma organização que percebeu que as letras do rapper poderiam ser consideradas homofóbicas, condenou a decisão de John, gay declarado, a cantar com Eminem. A Entertainment Weekly colocou isso como um dos principais pontos da música na década, afirmando: "Foi um abraço que se ouviu ao redor do mundo. Eminem, que compõe letras homofóbicas, dividiu o palco com um ícone gay para a apresentação de 'Stan', fato que foi memorável em qualquer contexto". Em 21 de fevereiro, dia em que a cerimônia foi realizada, a GLAAD realizou um protesto em frente ao Staples Center, onde o Grammy Awards ocorreu. As turnês musicais que Eminem participou em 2001 incluem Up In Smoke Tour com os rappers Dr. Dre, Snoop Dogg, Xzibit e Ice Cube; e Family Values Tour com a banda de rock Limp Bizkit.


2002-2003: The Eminem Show

O seu terceiro grande álbum de estúdio, The Eminem Show, foi lançado no verão de 2002 e, como o trabalho anterior, provou ser um sucesso. Na primeira semana, alcançou o número um das paradas e vendeu mais de um milhão de cópias. O principal single é "Without Me", no qual Eminem faz comentários depreciativos sobre boy bands, Limp Bizkit, Moby, Lynne Cheney e outras personalidades. The Eminem Show foi certificado oito vezes como Platina pela RIAA. O álbum reflete o impacto da sua ascensão à fama, o relacionamento com sua esposa e a sua filha, e a sua importância no meio da comunidade hip hop. Ele também aborda as acusações de uma agressão a um segurança que beijava sua esposa no ano de 2000.

Stephen Thomas Erlewine, um dos principais editores da Allmusic, considerou que, apesar de haver raiva clara em algumas faixas, ele foi menos inflamatório do que em The Marshall Mathers LP. No entanto, L. Brent Bozell III, que já havia criticado Eminem no seu álbum anterior por letras misóginas, deu o apelido de "Eminef" a Eminem, pelo uso contínuo da palavra filho da puta, que predomina no disco.


2004–2005: Encore

O Media Research Center (MRC) falou em 8 de dezembro de 2003 que o Serviço Secreto dos Estados Unidos admitiu que "estava de olho" em Eminem pelas suas alegações e ameaças com o Presidente dos Estados Unidos. A letra em questão é: "Foda-se o dinheiro/Eu não faço rap para presidentes mortos/Eu prefiro ver o presidente morto/Nunca vi alguém falar isso, mas eu abro precedentes…". A canção, "We As Americans" acabou em um CD bônus que acompanha o álbum


Encore.

Encore foi lançado em 2004 e tornou-se outro líder de paradas, impulsionado pelo single "Just Lose It", que desrespeita o cantor pop Michael Jackson. Em 12 de outubro do mesmo ano, uma semana após o lançamento de "Just Lose It", Jackson foi convidado para um programa de rádio em Los Angeles onde ele exprimiu seu descontentamento com o videoclipe, que parodia o julgamento pelo abuso de crianças, as cirurgias plásticas, e o incidente no qual o cabelo de Michael pegou fogo durante as filmagens de um comercial da Pepsi em 1984. Muitos dos partidários e amigos de Jackson comentaram sobre o vídeo, incluindo Stevie Wonder, que falou que o vídeo "é como chutar alguém que já está no chão" e "é idiotice"; e Steve Harvey, que declarou: "Eminem está perdendo seu passe do gueto. Queremos colocá-lo de volta!" No videoclipe, Eminem parodia MC Hammer e Madonna.

Em contrapartida, o comediante "Weird Al" Yankovic fez um protesto a Eminem na canção "Couch Potato", na qual ele parodia o sucesso internacional "Lose Yourself", do filme 8 Mile. Yankovic afirmou: "No ano passado, o Eminem me obrigou a parar a produção do vídeo da paródia de "Lose Yourself" porque ele achou que seria prejudicial à sua imagem e à sua carreira. Assim, a ironia da situação com Michael não está perdida para mim." A Black Entertainment Television foi o primeiro canal a pedir para parar de exibir o vídeo. No entanto, a MTV anunciou que iria continuar a exibir "Just Lose It". A revista The Source, através do seu presidente Raymond "Benzino" Scott, queria que não apenas o vídeo fosse retirado, mas também a canção do álbum, e um pedido de desculpas público de Eminem para Jackson, o que não ocorreu.

Apesar do assunto cômico do primeiro single, Encore teve junto consigo faixas de assunto sério, como a canção antiguerra "Mosh". Em 25 de outubro de 2004, uma semana antes da eleição presidencial dos Estados Unidos, Eminem lançou o videoclipe de "Mosh" na internet. A música destaca uma forte mensagem antiBush, com trechos como "vá se foder Bush" e "essa arma de destruição em massa que chamamos de presidente". O vídeo mostra Eminem reunindo um exército de pessoas, incluindo o rapper Lloyd Banks, apresentados como vítimas da administração de Bush e foram levados para a Casa Branca. No entanto, no momento que as armas quebram, é revelado que as pessoas estão lá somente para votarem, e ele termina com as palavras "VOTE terça-feira 2 de novembro!" na tela. Depois que Bush foi reeleito, Eminem modificou o vídeo, com manifestantes invadindo enquanto o presidente dava uma palestra.


2005-2008: Boatos sobre o fim da carreira

Em 2005, muitos especialistas do ramo musical especulavam que Eminem estava pensando em encerrar a carreira depois de seis anos e álbuns com diversas certificações. Tal especulação teve início em 2005, quando um álbum duplo estava prestes a ser lançado sob o nome de The Funeral.Posteriormente, foi revelado que o disco era uma compilação de greatest hits, e foi vendido sob o nome de Curtain Call: The Hits. O álbum foi lançado pela Aftermath Entertainment em dezembro, vendeu quase 441.000 cópias na primeira semana nos EUA e foi o quarto álbum consecutivo de Eminem a estar no número 1 da Billboard Hot 100. Ele foi certificado como platina duas vezes pela RIAA.

Em julho de 2005, o jornal Detroit Free Press publicou que esta seria a etapa final da carreira de Eminem, e que ele estaria mais interessado em tornar-se produtor ou executivo de uma gravadora. No mesmo dia do lançamento da sua compilação, Eminem negou que estaria se aposentando através da rádio Mojo in the Morning, de Detroit, mas afirmou que daria uma pausa na sua carreira: "Agora eu estou em um ponto da minha vida onde me sinto como se eu não soubesse como minha carreira está indo… Esta é a razão do álbum se chamar 'Curtain Call', porque este poderia ser o último trabalho. Nós não sabemos." Em 2006, Eminem lançou uma nova compilação, Eminem Presents: The Re-Up, para ajudar o crescimento da recém-criada gravadora Shady Records.

Eminem foi tema do livro 100 People Who Are Screwing Up America de Bernard Goldberg, no qual foi ranqueado na posição 58 Goldberg citou uma coluna de Bob Herbert do The New York Times, que afirmava: "No mundo de Eminem, todas as mulheres são putas e ele está ansioso para estuprá-las e depois assassiná-las".Goldberg também citou a canção "No One's Iller", de The Slim Shady EP, como um exemplo de misoginia No verão de 2005, Eminem anunciou uma turnê chamada Anger Management Tour, que teria a participação especial de 50 Cent, G-Unit, Lil' Jon, D12, Obie Trice e outros. Em agosto, a parte europeia da turnê foi cancelada, pois Eminem alegou que tinha entrado em uma clínica de reabilitação de drogados para o tratamento de uma dependência de soníferos.


2008-2009: Relapse

Em setembro de 2007, Eminem falou na estação de rádio Hot 97, de Nova Iorque, em uma entrevista junto com 50 Cent, que estava no "limbo" e iria decidir quando lançar um novo álbum. Ele disse: "Eu estou sempre trabalhando. Eu sempre estou no estúdio. É bom agora, tem uma energia forte na gravadora. Por um tempo eu não quero voltar ao estúdio para gravar… por questões pessoais. Eu estou saindo das minhas coisas pessoais e me sentindo melhor."

Eminem fez uma aparição em setembro de 2008 na sua estação de rádio, a Shade 45, onde disse: "Agora eu estou me concentrando somente nas minhas tarefas, criando novas faixas e produzindo um monte de coisas. Você sabe, quando mais eu continuar produzindo mais experiência vou adquirindo, porque começo a conhecer melhor as coisas." Foi nessa época que a Interscope Records finalmente confirmou o lançamento de um novo álbum do rapper, que seria lançado na primavera de 2009. Em dezembro de 2008 mais detalhes foram revelados: o álbum se chamaria Relapse e a maioria das faixas seria produzida por Dr. Dre.

Em um comunicado em 5 de março de 2009, Eminem afirmou que iria lançar dois álbuns naquele ano. O primeiro single, "We Made You", foi lançado em abril e se destacou pelo tema cômico. Relapse, o primeiro dos discos anunciados, foi lançado oficialmente em 19 de maio, mas não alcançou o sucesso de vendagem como nos quatro álbuns anteriores. Mesmo assim, recebia críticas positivas pelo restabelecimento de Eminem na cena do hip hop mundial. Durante o Video Music Awards de 2009, o humorista Sacha Baron Cohen, que estava vestido com uma roupa de anjo, caiu de cima do teto e acertou com suas nádegas a face de Eminem, que se revoltou e foi embora da premiação. Três dias depois, o rapper admitiu que a cena foi encenada e os dois tinham planejado tudo. Em 19 de novembro, Eminem anunciou em seu site o lançamento de Relapse: Refill para 21 de dezembro. Ele foi um relançamento de Relapse com a adição de sete faixas bônus, entre elas "Forever" e "Taking My Ball". Em uma declaração, ele descreveu o próximo CD:

Eu quero entregar mais material para os fãs este ano conforme tinha anteriormente planejado. Esperamos que as faixas de The Refill sejam bem recebidas pelos fãs como uma prévia de Relapse 2, do próximo ano. Voltei a trabalhar com o Dre e com outros produtores como o Just Blaze, e fui em uma direção completamente diferente daquela quando comecei do nada. As novas faixas soaram muito diferente do que as que eu planejei para o Relapse 2, mas eu ainda tenho outras coisas para serem ouvidas.


2010-2011: Recovery

Em 13 de abril de 2010, Eminem anunciou via Twitter aos seus fãs que não haveria um Relapse 2. Quando ele havia falado isso, as pessoas acreditaram que não haveria mais o lançamento de um novo álbum, mas ele simplesmente alterou o seu título para Recovery. Ele completou: "Eu tinha planejado originalmente para o Relapse 2 sair ano passado. Mas eu continuei gravando e trabalhando com novos produtores, e então a ideia de uma sequência de 'Relapse' começou a fazer cada vez menos sentido para mim, pois eu queria fazer algo completamente novo. A música em 'Recovery' é muito diferente mesmo de 'Relapse', e ela merecia seu título próprio".

Seu sétimo álbum de estúdio, Recovery, foi lançado em 21 de junho. Nos EUA, Recovery vendeu 741.000 cópias na primeira semana e alcançou o topo da Billboard 200. Até novembro de 2010, ele havia vendido 2,9 milhões de cópias nos EUA. Apesar de algumas críticas em relação a sua consistência, Recovery foi bem recebido pela maioria dos profissionais de música, como uma recuperação em relação ao álbum anterior. Seu primeiro single, "Not Afraid" foi lançado em 29 de abril e estreou em primeiro na Billboard Hot 100. O segundo, "Love the Way You Lie" estreou em segundo e depois subiu para a primeira posição. Ele contou com a presença da cantora de R&B Rihanna no refrão e seu videoclipe teve 6,6 milhões de acessos no primeiro dia, um recorde na história do YouTube.

Em junho de 2010, Eminem anunciou juntamente com Jay-Z que iria tocar em vários lugares de Detroit e Nova Iorque, em uma turnê chamada de The Home & Home Tour. Os ingressos para os dois primeiros shows se esgotaram rapidamente, fazendo que shows adicionais fossem marcados. Eminem abriu a premiação do Video Music Awards de 2010, com seus singles "Not Afraid" e "Love the Way You Lie", com uma excelente recepção por parte do público.[98] Eminem participou ainda na segunda parte da sequela de "Love the Way You Lie", presente no álbum de estúdio Loud de Rihanna. O rapper ainda fez uma participação no álbum de Nicki Minaj Pink Friday, mais especificamente na canção "Roman's Revenge", que fez referência aos alter ego de ambos: Roman Zolanski e Slim Shady. Em dezembro de 2010, na escolha dos 25 melhores momentos de 2010, feita pela Billboard, The "Great Eminem Recovery" foi colocado como o principal acontecimento da música no ano.

No Grammy Awards de 2011, Eminem foi indicado nas categorias de "Álbum do Ano" (com Recovery), "Canção do Ano" e "Gravação do Ano" (ambas com Love the Way You Lie) e "Melhor Álbum de Rap" (também com Recovery), mas saiu vencedor apenas na última.


2012-2013: The Marshall Mathers LP 2

Em 24 de maio de 2012, Eminem anunciou que estava trabalhando em seu próximo álbum previsto para ser lançado em 2013. Mesmo sem um título, o álbum foi incluído em "Álbuns Mais Aguardados de 2013", incluindo MTV, Revista Complex, onde foi listado na sexta posição, e revista XXL, onde foi listado em quinto lugar.

Em 30 de junho de 2012, Eminem falou sobre o álbum com DJ Whoo Kid, na sua própria estação de rádio Shade 45. Ele afirmou que o material estava tomando forma e que Dr. Dre estaria envolvido. Em 30 de agosto de 2012, o membro do grupo Slaughterhouse, Royce da 5'9, falou sobre o trabalho: "Eu não sei como o mundo vai reagir a partir de algumas coisas que eu ouvi dele." Eminem também foi destaque no álbum da cantora Pink, The Truth About Love, na faixa "Here Comes The Weekend".

Em 11 de fevereiro de 2013, o presidente da Shady Records e empresário de Eminem, Paul Rosenberg anunciou que o oitavo álbum de Eminem seria lançado após o Memorial Day de 2013. "Nós realmente esperamos estar lançando um novo álbum do Eminem em 2013. Ele tem trabalhado nisso por algum tempo", disse Rosenberg. "É seguro dizer que será pós-Memorial Day, em algum momento, mas não temos certeza de quando exatamente. Temos algumas datas fechadas para ele se apresentar na Europa em agosto, então estamos tentando ver o que mais se alinha. " O álbum permaneceu sem título. Em 22 de março de 2013, Dr. Dre disse que Eminem estava perto de terminar o álbum e que ele trabalhou com Eminem. O produtor No I.D. foi confirmado para a produção do álbum.

Em 14 de agosto de 2013, uma música intitulada "Survival", com participação de Liz Rodrigues e produção de DJ Khalil, foi estreada no trailer multiplayer para o jogo Call of Duty: Ghosts. O seguinte comunicado de imprensa revelou que seu primeiro single do oitavo álbum de estúdio será lançado em breve.[102] Durante o VMA 2013, foi revelado que o próximo álbum de Eminem seria intitulado The Marshall Mathers LP 2 (a continuação de seu álbum lançado anteriormente The Marshall Mathers LP), que foi lançado em 5 de novembro de 2013.

Faltando pouco menos de uma semana para seu lançamento, as novas canções caíram na rede,porém não atrapalharam em nada sua venda já que em sua primeira semana vendeu mais de 790 mil cópias nos EUA. The Marshall Mathers LP 2 foi o sétimo álbum do Eminem a estrear no topo da parada britânica, o que o coloca ao lado dos Beatles. Também se igualam os números de singles no top 20 da Billboard, com a faixa "The Monster" consagrando a quarta parceria com a cantora Rihanna estreando na terceira posição do ranking, o primeiro single "Berzerk", indicado ao Grammy mais tarde, "Rap God" e "Survival". O próximo single anunciado foi "Headlights" com participação de Nate Ruess, onde o rapper pede desculpas à mãe, Debbie, por seus ataques em outras músicas no início de sua carreira. O álbum contou ainda com colaborações com Kendrick Lamar, Skylar Grey e Sia, além de várias referências ao primeiro The Marshall Mathers LP.


2014-presente : Shady XV


Após a especulação, em 25 de agosto de 2014, a Billboard anunciou em um artigo que Eminem iria lançar um álbum de compilação intitulado Shady XV em 28 de novembro de 2014 para celebrar o 15 º aniversário de seu segundo álbum The Slim Shady LP e a fundação da Shady Records. O álbum será composto por dois discos, um será uma coletânea de canções da Shady Records e outra contará com novas músicas de Eminem e Shady Records (D12, Slaughterhouse, Bad Meets Evil, e Yelawolf) com participações de outros artistas. No mesmo dia, o primeiro single do XV Shady intitulado "Guts Over Fear" foi lançado. Ele conta com a participação da cantora e compositora Sia.[103]


Outros trabalhos


Shady Records e D12


Como Eminem conseguiu um recorde de vendas e álbuns certificados várias vezes com platina, a Interscope lhe concedeu sua própria gravadora. Ele e seu empresário Paul Rosenberg criaram a Shady Records no final de 1999. Logo após a sua criação, Eminem conseguiu trazer para a gravadora o coletivo D12 - do qual ele faz parte - e o rapper Obie Trice (que saiu em 2008). Posteriormente, ele firmou uma parceria com 50 Cent através de uma joint venture entre a Shady e a Aftermath. Com o tempo, Eminem foi convidando novos rappers para entrarem na Shady, entre eles Stat Quo, The Alchemist e Cashis. Em 5 de dezembro de 2006, a Shady Records lançou um álbum de compilação chamado Eminem Presents: The Re-Up. O projeto inicial do disco seria no formato de mixtape, mas Eminem revelou que ele já tinha material o suficiente para ser lançado como um álbum completo. Ele foi feito para ajudar os novos artistas da gravadora, como Stat Quo, Cashis e Bobby Creekwater.

Na época da gravação de Infinite, Eminem reuniu os rappers Proof e Kon Artis para formar o grupo D12, abreviação de "Detroit Twelve" ou "Dirty Dozen", sendo espelhado no Wu-Tang Clan. Em 2001, Eminem conseguiu levar o D12 à cena mundial do hip hop, lançando no mesmo ano o álbum de estreia da banda, chamado Devil's Night. O primeiro single lançado foi "Shit on You", seguido por "Purple Pills", uma ode ao uso de drogas. Como "Pills" foi censurada na maioria das estações de rádio e canais de televisão, ela precisou ser fortemente reescrita e foi relançada sob o título de "Purple Hills". Enquanto ele foi um sucesso, o terceiro single, "Fight Music", não foi bem sucedido. Um integrante do D12, Bizarre, falou que não teve a participação de Eminem no seu álbum Blue Cheese & Coney Island porque "ele está ocupado fazendo outras coisas." Tal afirmação repercutiu no mundo da música.

Após sua estreia, o D12 teve uma pausa de três anos de gravações, mas mais tarde os integrantes reuniram-se para o lançamento do segundo álbum, intitulado D12 World, que contou com o popular hit "My Band". Em abril de 2006, o integrante do D12 e amigo de infância de Eminem Deshaun "Proof" Holton foi assassinado após uma briga em um clube em Detroit. A discussão provavelmente ocorreu após um jogo de bilhar. Primeiro, Proof atirou e matou o soldado americano Keith Bender, Jr.; na sequência, Mario Etheridge, primo de Bender e segurança do local rapidamente disparou tiros contra Proof. Ele foi rapidamente levado até o St. John Health's Conner Creek Campus, mas foi declarado morto na chegada. Eminem e Obie Trice falaram sobre o assunto no funeral.
Bad Meets Evil, Royce da 5'9"

Eminem tem um projeto junto com o rapper Royce da 5'9", no qual a dupla se intitula Bad Meets Evil, que desde de 1999 tentam realizar um trabalho fixo juntos, que mesmo com um single, "Nuttin' to Do" e mais duas faixas, que são inclusos no EP de mesmo nome, não concretizaram o interesse no trabalho colaborativo, que então, cerca de dez anos mais tarde é confirmado no EP Hell: The Sequel. O single para promover este, é intitulado "Fast Lane", estreado em meados de Maio.


Trabalhos como produtor

Eminem também é um produtor musical ativo. Ele produziu e participou de diversas canções de outros artistas, como "Welcome to D Block" de Jadakiss, "Renegade" e "Moment of Clarity" de Jay-Z, "On Fire", "Warrior Pt II" e "Hands Up" de Lloyd Banks, "Drama Setter" de Tony Yayo, "Welcome 2 Detroit" de Trick Trick, e "My Name" e "Don't Approach Me" de Xzibit.] A maioria das faixas de The Eminem Show foi produzida pelo próprio Eminem, com co-produção do seu velho amigo Jeff Bass. Outras produções incluem "Ghetto Gospel" (com Elton John),] o disco Encore (com Dr. Dre) "The Cross" de Nas, "Who Want It" de Trick Trick e oito faixas do álbum Second Round's on Me de Obie Trice.

Além de ser produtor executivo dos dois primeiros álbuns do D12, Devil's Night e D12 World, ele fez a mesma tarefa em Cheers e Second Round's on Me de Obie Trice bem como em Get Rich or Die Tryin' e The Massacre de 50 Cent. Em 2004, Eminem foi o produtor do álbum póstumo de Tupac Shakur Loyal to the Game, juntamente com Afeni Shakur, mãe de Tupac.

Com relação às produções de Eminem, ele é visto como alguém de um estilo incomum. Ao invés de fazer primeiro o instrumental da música, ele começa a produzir com a ideia de como quer que a canção seja estruturada através de sua letra. Uma notável exceção disto é "Stan", que foi produzida por Mark the 45 King


Trabalhos como ator

Embora Eminem tenha feito uma pequena participação no filme The Wash, ele marcou sua estreia em Hollywood no filme semi-biográfico 8 Mile, lançado em novembro de 2002. O rapper afirmou que este não é um relato de sua vida, mas sim uma representação de como os jovens crescem em Detroit. Foram gravadas diversas músicas novas para a trilha sonora do filme, incluindo "Lose Yourself", a qual conquistou o Oscar de melhor canção original em 2003. No entanto, a música não foi cantada ao vivo na cerimônia, devido à ausência de Eminem. Luis Resto, que co-escreveu a canção, recebeu o prêmio.

Eminem já fez vários trabalhos como dublador. Exemplos disto são o jogo 50 Cent: Bulletproof, onde ele faz a voz de um policial corrupto, e o desenho animado online The Slim Shady Show, que posteriormente foi lançado em DVD. Ele também foi convidado para fazer o papel de David Rice no filme Jumper, mas preocupações do diretor Doug Liman fizeram com que ele fosse substituído por Hayden Christensen. Outra participação especial de Eminem se deu no filme Funny People, onde se envolveu em uma discussão com Ray Romano. Foi revelado em 8 de novembro de 2009 que ele irá estrelar a série antológica de horror em 3D Shady Talez. As quatro edições da série deverão ser lançadas em 2011.


Memória

Em 21 de outubro de 2008, Eminem lançou uma autobiografia intitulada The Way I Am, que detalha as suas lutas contra a pobreza, as drogas, a fama, o desgosto e a depressão, juntamente com histórias sobre sua ascensão à fama e comentários sobre as controvérsias do passado. O livro ainda contém algumas páginas das letras originais de canções como "Stan" e "The Real Slim Shady".


Características musicais

Eminem nomeou vários MC's que influenciaram o seu estilo de rap, incluindo Esham Kool G Rap, Masta Ace, Big Daddy Kane, Newcleus, Ice-T, Mantronix, Melle Mel, LL Cool J, The Beastie Boys, Run-D.M.C., Rakim e Boogie Down Productions.


No livro How to Rap, Guerilla Black nota que Eminem estudou os outros MC's para criar seu próprio estilo de cantar rap: "Eminem ouviu de tudo e é isso que o torna um dos grandes MC's". No mesmo livro, Eminem é elogiado por vários outros rappers pela sua técnica no vocal, incluindo temas variadas e assuntos tratados com bom-humor, a conexão com o público, utilizar um conceito sobre uma série de outros discos, rimas e ritmos complexos, a capacidade de dobrar as palavras na mesma rima, rimas multi-silábicas, uso da melodia e síncope. Ele também é conhecido por escrever a maioria de suas letras no papel, como é retratado no livro The Way I Am, bem como ocupar vários dias e semanas para elaborar o lírico das canções. Tal fato, faz Eminem ser considerado um "workaholic".


Vida pessoal


Família


Marshall sempre foi um objeto de estudo minucioso, seja na sua carreira como rapper como na sua vida pessoal. Ele foi casado duas vezes com Kimberley Anne Scott, a quem conheceu no colégio. Eles começaram a relação em 1989 e se casaram em 1999. Em 2000, Scott tentou o suicídio e processou Eminem por difamação pelo modo em que ele descreveu a morte dela na canção "Kim". O casal divorciou-se pela primeira vez em 2001, mas reatou a união em janeiro de 2006. O segundo divórcio aconteceu em dezembro do mesmo ano, após ambos concordarem em dividir a custódia da filha Hailie Jade Scott Mathers, nascida em 1995. Hailie Scott foi referida em várias canções de Eminem, como em "'97 Bonnie & Clyde", "Hailie's Song", "My Dad's Gone Crazy", "Like Toy Soldiers", "Mockingbird", "Forgot About Dre", "Cleanin' Out My Closet", "When I'm Gone", "Deja Vu", "Beautiful", "Sing for the Moment", "Airplanes Part II" e "Going Through Changes". No início de 2010, ele respondeu a vários tablóides que haviam falado sobre uma suposta reunião com Kim, desmentida fortemente pelo próprio.

Eminem adotou outras duas filhas: Alaina "Lainey" Mathers, filha da irmã de Kim e Whitney Scott, filha de um relacionamento anterior com a mesma Kim. Ele também é o guardião legal de seu meio-irmão Nathan.


Problemas legais

Em 1999, a mãe de Marshall o processou por cerca de 10 milhões de dólares sob alegada calúnia sobre ela nas faixas de The Slim Shady EP. Ela conseguiu receber apenas US$ 1.600 em 2001 por danos morais.

Mathers foi preso em 3 de junho de 2000 durante uma briga em uma loja de equipamentos para carro localizada em Royal Oak, Michigan. A discussão ocorreu com Douglas Dail, onde ele puxou uma arma descarregada e manteve-a apontada para o chão. No dia seguinte, em Warren, Michigan, ele supostamente viu a sua então esposa Kim beijando o segurança John Guerrera no estacionamento do Hot Rock Café, e então o agrediu. Foi dada a Eminem uma liberdade condicional de dois anos por ambos os episódios. No verão de 2001, Mathers foi novamente condenado a liberdade condicional por porte ilegal de arma depois de uma discussão com um funcionário da Psychopathic Records. Após uma decisão no tribunal, Eminem foi condenado a pagar uma multa de dois mil dólares e várias horas de serviço comunitário.


Uso de drogas

Eminem já falou abertamente sobre seu vício em álcool e drogas. Uma prova disto é que Proof, integrante do D12, afirmou que Mathers estava "sóbrio" pelo uso de drogas e álcool.[162] No entanto, ele continuou a usar comprimidos de Zolpidem para aliviar problemas de insônia. Tal problema fez Eminem cancelar a parte europeia da Anger Management Tour em agosto de 2005 e entrar em uma clínica de reabilitação para viciados em soníferos.

Em uma entrevista de 2009 com o apresentador britânico Jonathan Ross, Eminem admitiu que no auge do seu vício ele considerou a possibilidade de se suicidar, afirmando que "eu não estava cuidando de mim, às vezes eu queria apenas desistir dessa vida" Ele também comentou que agora está fazendo uso da música para manter sua auto-estima: "Rap era minha droga… Então eu tive que recorrer a outras coisas para me sentir bem. Agora o rap está me deixando em alta novamente".


Conflito com Mariah Carey

Eminem já escreveu várias músicas referindo-se a um suposto relacionamento com a cantora pop Mariah Carey, embora ela negue a afirmação. Ela falou que nenhuma relação sexual ou íntima ocorreu. Eminem fez menção a Carey em diversas canções, entre elas "Superman", "Jimmy Crack Corn", "Bagpipes From Baghdad", e "The Warning". Carey respondeu com "Clown" logo após o lançamento de "Superman", em 2003, e em 2009 com o hit "Obsessed".

"Bagpipes from Baghdad", do álbum Relapse de Eminem pode ser a referência mais conhecida a Carey, devido à polêmica que provocou. A canção deprecia o relacionamento entre a cantora pop e seu marido Nick Cannon. Cannon respondeu a Eminem dizendo que a carreira dele é baseada em um "fanatismo racista" e disse que iria se vingar do rapper, falando que ele poderia voltar a cantar. Mais tarde, Eminem disse que o casal havia mal interpretado a canção e que ele desejava o melhor para os dois. Cannon também disse que não tinha ressentimentos e só queria expressar sua opinião sobre a música.

Em 2009, Carey lançou "Obsessed", que conta a história de um homem obcecado que afirma estar tendo uma relação com ela. Cannon disse que a canção não era um insulto dirigido propriamente a Eminem. No entanto, em julho do mesmo ano, houve a resposta com "The Warning", que continha samples de mensagens de correio de voz que supostamente foram deixadas por Carey para ele. Um pouco mais de um ano depois disso, Nick Cannon respondeu com "I'm a Slick Rick", no qual Slick Rick atira em Eminem.


Discografia


Álbuns de estúdio

Infinite (1996)
The Slim Shady LP (1999)
The Marshall Mathers LP (2000)
The Eminem Show (2002)
Encore (2004)
Relapse (2009)
Recovery (2010)
The Marshall Mathers LP 2 (2013)







Fonte: https://pt.wikipedia.org

Eminem entra para o Guinness Book


O rapper Eminem se destacou com o single "Rap God", por ser o hit com maior número de palavras na letra. A canção tem um total de 1,560 palavras ditas em seis minutos e quatro segundos.





Fonte: www.vagalume.com.br

Eminem sofreu tentativa de assassinato em 2001, afirma ex-guarda-costas


Eminem, de acordo com um ex-guarda costas, foi intimidado fisicamente durante a premiação Source Awards, em 2001. De acordo com Myron Williams, em entrevista a um programa de rádio, o rapper norte-americano foi encurralado por diversos seguranças de Suge Knight, CEO da Death Row Records.

Em matéria da Vulture, o ex-guarda costas diz que Eminem quase foi morto após uma mudança de assentos não permitir que os seguranças sentassem perto dos artistas. Por causa disso, o rapper ficou exposto.

"Eu notei que no corredor, ele estava no meio de vários caras de vermelho. Eu percebi o rosto dele mudando, ele ficando vermelho como um tomate. E tinha um mar de caras de vermelho em volta dele. Eu tive que entrar lá e retirá-lo", afirmou Williams.

O ex-segurança também contou que, quando pressionados, os homens afirmaram que representavam Knight, da Death Row Records, e haviam sido enviados para intimidar Eminem. Por sorte, com o auxílio dos seguranças de Dr. Dre, Williams conseguiu manter o rapper a salvo. "Nós permanecemos em estado de alerta o tempo todo".

Atualmente, Knight está preso, aguardando julgamento, por atropelar e matar um homem no set de Straight Outta Compton, em 2015.





Fonte: https://omelete.uol.com.br

Impressionante! Veja como está a filha de Eminem atualmente


Hailie Jade Scott Mathers é o nome da filha mais velha do famoso rapper, Eminem. Halie ficou conhecida por fazer constantemente parte das letras das canções do pai como ‘Hailie’s Song’ e ‘Mockingbird’.

Atualmente, a jovem tem 20 anos e tornou-se uma mulher bonita e bem sucedida. Halie foi distinguida como uma das melhores alunas da sua escola secundária e tem planos para o futuro de ingressar em estudos tanto no campo da psicologia como do empreendedorismo.


Um dos fatos mais curiosos de Halie é fazer parte do livro dos recordes do Guiness. A filha de Eminem foi a mais nova artista acreditada por uma música de R&B quando tinha apenas 6 anos, com o tema ‘'My Dad's Gone Crazy'.


























Fonte: www.noticiasaominuto.com.br
- Hailie Jade Scott © Instagram @hailiescott1

Palavra criada por Eminem entra no dicionário 'Oxford'


O dicionário inglês Oxford ganhou mais um verbete: stan. A partir de agora, é formalmente correto usar esse termo para se referir a um fã obsessivo de alguma personalidade em particular

A palavra é o nome de uma música de Eminem, lançada em 2000, sobre um fã perigosamente obsessivo. Esse termo já estava presente no vocabulário dos fãs desde então.

Os seguidores de Beyoncé, Rihanna, Ariana Grande e do extinto grupo One Direction se identificam como 'stans'.





Fonte: www.tribunadabahia.com.br

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Rap na Parada - Pense e Reflita - Medo 50 Cent


"Faça seus medos terem medo de você"





Rap na Parada - Curtis James Jackson III o 50 Cent


Curtis James Jackson III, mais conhecido pelo seu nome artístico 50 Cent (Nova Iorque, 6 de julho de 1975), é um rapper, ator, diretor, roteirista e empresário norte-americano. Ele chegou à fama com o lançamento dos álbuns Get Rich or Die Tryin' (2003) e The Massacre (2005). Get Rich or Die Tryin' obteve a certificação de platina seis vezes pela RIAA e vendeu cerca de 13 milhões de cópias em todo o mundo. Seu disco The Massacre foi certificado cinco vezes pela RIAA e vendeu 11 milhões de cópias.

Nascido em South Jamaica, Queens, Jackson iniciou no tráfico de drogas com onze anos, durante a epidemia do crack da década de 1980. Depois de deixar o tráfico de drogas para começar uma carreira no rap, ele foi baleado por nove tiros durante um incidente em 2000, depois de tal acontecimento Jackson recebeu uma operação médica de alto risco, apesar que isso indicaria que o atirador era alguém a quem Jackson estava devendo dinheiro por drogas. Após o lançamento do álbum Guess Who's Back?, Jackson foi descoberto pelo rapper Eminem e assinou contrato com a Interscope Records. Com ajuda de Eminem e de Dr. Dre, que produziu o seu primeiro maior sucesso comercial, 50 Cent tornou-se um dos rappers com mais vendas no planeta. Em 2003, fundou a G-Unit Records, com seus parceiros do grupo G-Unit: Tony Yayo, Young Buck e Lloyd Banks.

50 Cent envolveu-se em várias brigas e discussões com outros rappers, incluindo Ja Rule, Fat Joe, Jadakiss, Cam'ron, Rick Ross e os ex-membros do G-Unit The Game e Young Buck. Ele também prosseguiu na carreira de ator, atuando no filme semi-autobiográfico Fique Rico ou Morra Tentando, em 2005, A Volta dos Bravos, em 2006, e As Duas Faces da Lei, em 2008; e em 2012, participou de um episódio do spin-off da série Bones, The Finder. Nesse ano, sua fortuna foi acrescida em $150 milhões de dólares, o que faz ele ser considerado o rapper mais bem-sucedido financeiramente daquele ano. Em 2009, 50 Cent foi escolhido como o sexto melhor artista da década e o sexto mais bem-sucedido entre 2000-2009 pela revista estadunidense Billboard. A Billboard também o nomeou como o melhor cantor de rap deste período.

Biografia

Infância e juventude



Curtis Jackson III cresceu no bairro de South Jamaica, Queens, na cidade de Nova Iorque, sem a presença do pai e de seu irmão lito somente com a companhia de sua mãe, Sabrina, que era traficante de cocaína na região. Ela deu à luz a Curtis com apenas quinze anos e acabou falecendo em 1988, quando ele estava com a idade de doze anos. Sabrina ficou inconsciente após colocarem drogas em sua bebida, e teve o gás de seu apartamento ligado e as janelas fechadas. Após seu falecimento, Curtis foi levado para morar na casa dos avós junto com outros oito tios e tias. Ele relembra: "Minha avó me disse: 'Sua mãe não virá para casa. Ela não irá voltar para buscá-lo. Você vai ficar com a gente agora.' A partir deste momento eu comecei a me adaptar um pouco mais com as ruas."

Jackson começou a lutar boxe por volta dos onze anos. Aos quatorze, um vizinho abriu uma academia de boxe para as crianças e adolescentes da localidade. "Quando eu não estava matando tempo na escola, estava lutando no ginásio ou vendendo crack na esquina", afirma. Em meados da década de 1980, ele competiu nas Olimpíadas Júnior como um pugilista amador. Ele relata: "Eu era competitivo no ringue, e o hip hop também é competitivo demais… Acho que os rappers em si tem um pouco de boxeadores, pois todos eles querem sentir como é ser campeão." Com doze anos, Jackson começou a participar do tráfico de narcóticos enquanto seus avós pensavam que ele estava em um programa da escola. Ele levava o dinheiro das vendas e também armas para a escola. No décimo grau, foi pego em um detector de metal na Andrew Jackson High School. Declarou, mais tarde: "Eu estava envergonhado pois fui preso assim… Depois que eu fui preso, parei de esconder. Eu falava abertamente para a minha avó 'Eu vou vender drogas'."

Em 29 de junho de 1994, Jackson foi preso por ajudar a vender quatro frascos de cocaína a um policial disfarçado. Ele foi detido novamente três semanas depois, quando a polícia vasculhou sua residência e encontrou heroína, pedras de crack e uma arma de partida. Ele foi sentenciado de três a nove anos de prisão, mas serviu seis meses em um acampamento policial e foi liberado. Jackson afirma que nunca fez uso da cocaína, somente a vendeu. Adotou o apelido de "50 Cent" como referência a Kelvin Martin, um assaltante do Brooklyn também conhecido pela alcunha de 50 Cent. Jackson escolheu este nome "porque ele diz tudo que eu quero dizer. Eu sou o mesmo tipo de pessoa que 50 Cent foi. Eu providencio para mim tudo o que necessito."


Carreira

1996-2000: Início da carreira


Jackson começou a cantar rap no porão de um amigo que usava turntables para gravar músicas instrumentais. Em 1996, um amigo o apresentou a Jam Master Jay, DJ do Run-D.M.C., o qual estava organizando sua gravadora, a Jam Master Jay Records. A primeira aparição oficial de Jackson no meio da música foi na canção React, com o grupo Onyx, no álbum Shut 'Em Down, de 1998. Ele creditou Jay como a principal influência para escrever bons raps. Jay produziu o primeiro álbum de 50 Cent, que no entanto nunca foi lançado. Em 1999, após sair da Jam Master Jay Records, produtores destacados no ramo musical o convidaram para fazer parte da Columbia Records. Eles o colocaram em um estúdio no noroeste de Nova Iorque, onde Jackson gravou trinta e seis músicas em duas semanas. Oito delas foram incluídas no seu não-oficial álbum Power of the Dollar, lançado em 2000. Ele começou a agora extinta gravadora Hollow Point Entertainment com seu amigo de G-Unit, Bang 'Em Smurf.

A popularidade de Jackson começou a aumentar consideravelmente após o lançamento de seu primeiro single, How to Rob, o qual escreveu em meia hora enquanto se dirigia ao estúdio. A música explica comicamente como roubar os famosos. Os rappers Jay-Z, Kurupt, Sticky Fingaz, Big Pun, DMX, Wyclef Jean e o Wu-Tang Clan responderam a canção e Nas recebeu ela positivamente, convidando Jackson a participar de sua turnê promocional do álbum Nastradamus. O single foi programado para ser lançado junto com Thug Love, do grupo Destiny's Child, mas dois dias antes dele gravar o videoclipe de "Thug Love" acabou sendo baleado e foi internado no hospital devido aos ferimentos.

2000-2001: Tiroteio

Em 24 de abril de 2000, Jackson foi atacado por um pistoleiro, acusado de ser Darryl "Hommo" Baum na casa antiga de seus avôs em South Jamaica. Ele entrou no carro de um amigo, mas voltou a residência para pegar uma joia. Seu filho estava dentro de casa enquanto sua avó estava no quintal da frente. Após voltar para o banco de trás do carro, outro veículo parou perto. Um assaltante, em seguida, caminhou até o lado esquerdo de Jackson com uma pistola 9mm e disparou nove tiros á queima-roupa. Ele foi acertado por todos os tiros: um na mão, um no braço, um no quadril, um em cada perna, um no tórax e outro na bochecha esquerda. O tiro no rosto resultou em uma língua inchada, a perda de um dos sisos e uma pequena mudança na voz de 50 Cent. O seu amigo também foi atingido por um projétil na mão; ambos foram levados ao hospital onde Jackson passou treze dias. Baum, o alegado atirador, foi assassinado três semanas depois. Baum era amigo e guarda-costas do lutador Mike Tyson.

50 Cent lembrou do incidente, dizendo: "Isso acontece tão rápido que você não tem sequer chance de atirar de volta… Eu estava com medo o tempo inteiro e olhava no retrovisor e falava 'Merda, alguém atirou na minha cara!'" Usou um andador durante as primeiras seis semanas, e após cinco meses já estava totalmente recuperado. Quando saiu do hospital, foi com sua então namorada e seu filho para as montanhas de Poconos. O regime e exercícios realizados por 50 Cent lhe fizeram recuperar o físico muscular.

Enquanto estava no hospital, ele assinou contrato com a Columbia Records, mas este acabou sendo retirado após 50 Cent compor a música "Ghetto Qu'ran". Incapaz de encontrar um estúdio para trabalhar nos Estados Unidos, Jackson foi para o Canadá. Junto com seu parceiro de negócios Sha Money XL, 50 Cent gravou mais de trinta músicas para mixtapes com o propósito de aumentar a sua reputação. E isto aconteceu, sendo que em 2002, ocorreu o lançamento da mixtape Guess Who's Back?. Agora com maior popularidade e apoiado pelo grupo G-Unit, ele lançou mais um álbum, 50 Cent Is the Future.


2002-2009: Ascensão à fama

Em 2002, Eminem ouviu uma cópia do CD Guess Who's Back?, entregue através do advogado de 50 Cent para o seu gerente. Impressionado com o álbum, Eminem convidou Jackson para voar até Los Angeles, onde foi apresentado ao produtor e rapper Dr. Dre. Após assinar um contrato recorde no valor de US$ 1 milhão, 50 Cent lançou outra mixtape: No Mercy, No Fear. Ela destacou uma faixa nova, "Wanksta", a qual foi incluída na trilha sonora do filme 8 Mile.

Em fevereiro de 2003, 50 Cent lançou seu primeiro álbum comercial, Get Rich or Die Tryin'. A Allmusic o descreveu como "provavelmente o melhor álbum de estreia de um rapper na década". A Rolling Stone também o classificou positivamente, com sintetizadores adequados, um flow sereno e um ritmo similar ao funk dos anos 1960. O álbum estreou na primeira posição da Billboard 200, vendendo 872 mil cópias nos quatro primeiros dias. O principal e primeiro single, In da Club quebrou os recorde como a canção mais ouvida na Billboard de todos os tempos em apenas uma semana. A Interscope concedeu a 50 Cent sua própria gravadora, a G-Unit Records. Ela foi formada originalmente por Cent, Lloyd Banks, Tony Yayo e Young Buck, os membros originais do G-Unit. Em março de 2005, Jackson lançou o seu segundo álbum de estúdio, intitulado The Massacre, o qual vendeu 1,14 milhões de cópias nos quatro primeiros dias (sendo o número mais alto em um ciclo de vendas abreviado) e ficou na primeira posição da Billboard 200 por seis semanas. Ele se tornou o primeiro artista a ter três singles no top cinco da Billboard na mesma semana com "Candy Shop", "Disco Inferno" e "How We Do". A Rolling Stone notou que "a principal arma de 50 é a sua voz, implantando uma sonoridade semelhante a um tenor amador na maioria das canções".

Após uma discussão com Game, 50 Cent convidou Olivia e o tradicional grupo Mobb Deep para entrarem na G-Unit Records, e ambos aceitaram. Spider Loc, M.O.P., 40 Glocc e Young Hot Rod ingressaram posteriormente. Jackson demonstrou interesse em trabalhar com rappers que não pertenciam ao G-Unit, como Lil' Scrappy da BME, LL Cool J da Def Jam, Mase da Bad Boy Records e Freeway da Roc-A-Fella, os quais gravaram com ele. Em setembro de 2007, 50 Cent lançou seu terceiro álbum de estúdio oficial, chamado Curtis, o qual foi inspirado no que aconteceu antes do lançamento de Get Rich or Die Tryin'. Ele estreou na segunda posição da Billboard 200, vendendo 691 mil unidades na primeira semana, permanecendo atrás de Graduation, de Kanye West, com quem disputou a liderança das vendas, já que os dois discos foram lançados no mesmo dia.

Em 10 de setembro de 2008 ele confirmou no programa Total Request Live da MTV o lançamento do seu quarto álbum de estúdio, Before I Self Destruct: "Ele já está pronto e será lançado em novembro". Em 5 de janeiro de 2009, lançou o primeiro single deste, I Get It In, o qual foi produzido por Dr. Dre. A lista oficial das músicas que estariam presentes foi divulgada no mesmo dia. Em 3 de setembro, Jackson lançou o vídeo da música "Flight 187", a qual introduzia sua nova mixtape. Este ascendeu a rivalidade que há entre 50 Cent e Jay-Z. O álbum foi oficialmente lançado nos Estados Unidos em 9 de novembro de 2009.


2010-presente: Novo estilo

50 Cent anunciou em uma entrevista ao site ContactMusic que estaria no trabalho de um novo álbum, chamado Black Magic, inspirado nas discotecas da Europa, pertencendo ao estilo musical conhecido como eurodance. Para isto ele comunicou sua primeira turnê da carreira em 21 de abril, a The Invitation Tour, que começou no fim de maio. Pouco tempo depois, o artista anunciou que desistiu da ideia porque as letras até então escritas não se encaixavam no quesito de Black Magic (que em português significa Magia negra). Também confirmou que está trabalhando em um quinto álbum de estúdio, Street King Immortal.

Em maio de 2010, 50 Cent se apresentou à imprensa 25 quilos mais magro, para viver um jogador de futebol com câncer no filme Things Fall Apart. No dia 3 de setembro, o rapper mostrou apoio a seu antigo mentor Eminem, e apareceu na turnê "Home & Home Tour", de Eminem e Jay-Z, onde cantou hits como "Crack a Bottle", e apareceu junto com Dr. Dre, desmentindo boatos de que 50 não trabalhava mais com o produtor Dre. 50 Cent fez uma participação especial no novo álbum de Michael Jackson, chamado Michael, na canção "Monster"(Que foi um ponto baixo, já que a música mais tarde foi-se provada falsa, não são os vocais de Jackson, é cantada por Jason Malachi) .


Em 2014 , 50 Cent lançou o álbum "Animal Ambition" e também reuniu a G-unit.
Projetos fora da música

Jackson também atua em diversos campos fora da música. Em novembro de 2003, ele assinou um contrato de cinco anos com a Reebok para distribuir um novo tipo de tênis da sua companhia de moda, intitulado "G-Unit Sneakers". Ele apareceu como dublador e protagonista do jogo 50 Cent: Bulletproof, o qual foi lançado para PlayStation Portable, Xbox e PlayStation 2. A sequência deste jogo, 50 Cent: Blood on the Sand, foi lançada no início de 2009. 50 Cent trabalhou com a Glacéau para criar uma bebida energética chamada "Formula 50". Em 2007, a Glacéau foi comprada pela Coca-Cola por 4,1 bilhões de dólares. A Forbes estima que a participação de Jackson na empresa fez com que ele arrecadasse cerca de $100 milhões com os impostos. 50 Cent se uniu com a marca Right Guard para lançar um perfume chamado Pure 50 RGX Body Spray e um preservativo conhecido como Magic Stick Condoms,sendo que ele doou parte do dinheiro arrecadado para tratamento do HIV. Ele também assinou um contrato plurianual com a Steiner Sports para doar toda as suas memorabílias.

Em 2005, 50 Cent fez uma aparição no episódio "Pranksta Rap" da série Os Simpsons, onde ele falava de seus problemas jurídicos. Neste mesmo ano, ele estrelou ao lado de Terrence Howard seu filme semi-autobiográfico, Get Rich or Die Tryin'. Ele também atuou em Home of the Brave, de 2006, onde viveu o papel de um soldado americano que retornava da Guerra do Iraque traumatizado por assassinar uma mulher iraquiana. Além disso, em 2008 no filme Righteous Kill ele fez o papel de um lutador que está na Prisão de Angola; onde contracena com Nicolas Cage, Al Pacino e Robert De Niro. Ele iniciou duas companhias de filmes: a G-Unit Films em 2003, a qual foi substituída pela Cheetah Vision em 2008. Em agosto de 2007, 50 Cent manifestou interesse em criar uma empresa de suplemento alimentar junto com o seu filme Spectacular Regret.

Em agosto de 2005, pouco tempo antes de atuar em Get Rich or Die Tryin', 50 Cent lançou sua autobiografia intitulada From Pieces to Weight: Once upon a Time in Southside Queens. Nele, Jackson explora as forças culturais e econômicas que levam ele a vender cocaína e crack, detalhes sobre como é a vida de um traficante de drogas, e em seguida, como um rapper; e ele também reflete seus atos e pensamentos sobre a sociedade e o mundo que vive. Em 4 de janeiro de 2007, 50 Cent lançou sua própria marca produtora de livros, a G-Unit Books no Time Warner Center. Ele também co-escreveu The Ski Mask Way, uma novela que conta sobre um traficante de drogas que em pouco tempo tenta roubar seus patrões. Está para ser transformada em um filme. Jackson afirmou que leu o livro The 33 Strategies of War de Robert Greene, inspirando-o a fazer o best-seller The 50th Law, uma versão urbana de The 48 Laws of Power. Em maio de 2009, ele iniciou um reality show na MTV chamado 50 Cent: The Money and the Power, onde o vencedor do programa, Ryan, ganhou $ 100.000 para investir em negócios.

Vida pessoal

Em 13 de outubro de 1997, a então namorada de Jackson Shaniqua Tompkins deu à luz seu primeiro filho, Marquise Jackson. O nascimento do filho de Jackson mudou toda a sua vida, conforme ele mesmo declarou: "quando meu filho entrou na minha vida, minhas prioridades mudaram, porque eu queria ter o relacionamento com ele que eu não tive com meu pai". Ele credita seu filho como o inspirador para prosseguir na carreira do rap, e é uma motivação "para entrar em uma direção diferente". Tompkins mais tarde processou 50 Cent no valor de US$ 50 milhões alegando que ele disse que iria cuidar da sua vida. O processo, que incluía quinze reivindicações de Shaniqua, foi posteriormente indeferido pelo juiz, o qual alegou que esta era "um conto infeliz de um relacionamento amargo e azedo". Em fevereiro de 2009, o pedido foi cancelado por ser considerado uma apelação.

Jackson possui uma tatuagem de "Marquise" com um machado no seu bíceps direito. Ele explica: "O machado é porque eu sou um guerreiro. No entanto, eu não quero que ele seja um". Ele ainda possui outras tatuagens, com o texto de "50", "Southside" e "Cold World" em suas costas, porque "eu me considero um produto deste lugar. Está nas minhas costas, portanto, isso tudo está atrás de mim". 50 Cent teve um caso em 2003 com a atriz Vivica A. Fox. Depois de alguns meses, ele anunciou sua separação quando imagens de um ensaio fotográfico que ela fez para a revista "Today's Black Woman" foram feitas sem conhecimento de Jackson.

Em 2005, 50 Cent manifestou apoio ao presidente George W. Bush, que havia sido criticado pelo também rapper Kanye West pela demora na ajuda as vítimas do Furacão Katrina. Ele alegou que Bush estava certo e que, se pudesse votar, teria dado o voto a ele. Mais tarde, ele afirmou que "Bush tem menos compaixão que metade dos seres humanos. Em todos os meios, eu não tenho nada parecido com o que Bush é." Em 2007, a Forbes reconheceu a riqueza de 50 Cent, colocando-o como o segundo rapper mais rico do mundo, atrás somente de Jay-Z.

Atualmente reside em uma mansão na cidade Farmington, Connecticut, que anteriormente pertencia ao ex-boxeador Mike Tyson. Jackson a colocou em venda no ano de 2007 sob o valor de US$ 18.5 milhões, para morar mais perto de seu filho que reside em Long Island. Em 12 de outubro de 2007, o prefeito de Bridgeport decretou o "Dia de Curtis Jackson - 50 Cent". Ele foi homenageado com a chave da cidade e uma proclamação oficial. Uma das casas que 50 Cent comprou em Nova Iorque por 2,4 milhões de dólares em janeiro de 2007 no centro do processo movido pela sua ex-namorada, pegou fogo em 31 de maio de 2008, enquanto ele estava em Louisiana gravando cenas de um filme.

Em dezembro de 2008, 50 Cent afirmou à imprensa canadense que havia sido afetado pela recessão, perdendo milhões de dólares no mercado de ações. Ele também disse que foi incapaz de vender a sua mansão em Connecticut e adiou Before I Self-Destruct pela crise econômica. Em novembro de 2009, ele ganhou uma ação judicial contra a Taco Bell, que havia criado uma cadeia de fast-food com o seu nome para promover a marca sem a sua devida permissão.

Em dezembro de 2010, 50 Cent foi processado por Tyrone Simmons por violação dos direitos autorais na canção "I Get Money", que apareceu no álbum Curtis.


Controvérsias

How to Rob


50 Cent disse que o single How to Rob deveria ser entendido como uma piada e não uma ameaça a ninguém. No entanto, vários rappers que se sentiram ofendidos com a música responderam com novas gravações:

Ja Rule e Murder Inc.

Antes de assinar com a Interscope, 50 Cent se envolveu em uma rivalidade com Ja Rule e a sua gravadora, Murder Inc., que foi bastante divulgada pelos veículos de mídia dos Estados Unidos. Existem muitas teorias sobre como começou a briga entre os dois rappers. 50 Cent afirmou que tudo começou em 2000, quando um amigo seu furtou um medalhão de Ja Rule. No entanto, Ja Rule alegou que tudo começou porque ele estava gravando um videoclipe no Queens com a participação de seus amigos e era "muito adorado" no bairro. Em março de 2000, enquanto estava gravando no estúdio The Hit Factory em Nova Iorque, 50 Cent foi atacado por três homens que ele disse serem contratados da Murder Inc. Ele foi atacado por diversas punhaladas, tendo ido parar no hospital logo depois. O rapper Black Child, que gravou diversos singles junto a Ja Rule, reivindicou a responsabilidade pelo esfaqueamento, alegando que agiu em legítima defesa pois acreditava que alguém estava armado.

Um depoimento de um agente da IRS sugeriu que a Murder Inc. possuía ligações com Kenneth McGriff, traficante de drogas da região que é suspeito de estar envolvido no assassinato de Jam Master Jay e dos nove tiros recebidos por Jackson. Um dos principais trechos do depoimento é esse:

A investigação descobriu uma conspiração envolvendo McGriff e outros traficantes da região para assassinar um artista de rap que lançasse músicas com letras sobre atividades criminosas de McGriff. Este artista de rap, 50 Cent, foi baleado em 2000, sobreviveu e depois se recusou a cooperar com a aplicação da lei sobre o tiroteio. As mensagens transmitidas por um pager da Murder Inc. indicam que McGriff está envolvido em um plano para assassinar 50 Cent, e que ele se comunica com funcionários da Murder Inc. em relação à isto.

A excessiva troca de insultos através de canções de ambas as partes culminou em Ja Rule lançar Blood in My Eye, um álbum que tinha como único objetivo atacar 50 Cent, Eminem e Dr. Dre. Ja Rule, posteriormente tentou encerrar com a rivalidade usando o ministro Louis Farrakhan em uma entrevista televisiva. No entanto, esta tentativa perdeu toda a credibilidade pois foi colocada no ar um dia antes do lançamento de Blood in My Eye. Como resultado, a maioria dos fãs, juntamente com Jackson, considerou isto uma tentativa de publicidade descarada.

Ja Rule posteriormente lançou R.U.L.E., álbum que teve dois singles que alcançaram um sucesso considerável, "Wonderful" e, "New York", com a participação especial de Jadakiss e Fat Joe, onde ele ameaça atirar em 50 Cent caso ele lhe difamar. O single foi feito para reviver a disputa entre os dois renomados rappers, mas Eminem lançou uma canção chamada "Like Toy Soldiers", onde ele explana suas recentes rivalidades com os artistas Ja Rule e Benzino, e sugere uma trégua para elas. Mas no ano seguinte, em 2005, a briga ressurge com uma afirmação de Ja Rule: "50 Cent é uma farsa e não vai durar". Um amigo de Eminem estava provocando Rule em uma boate e este acabou lhe desferindo um soco, e foi indenizado em US$ 1.2 mil.

A discussão continuou com provocações esporádicas de ambos os rappers, mas em 2009 Ja Rule elogiou 50 Cent e Eminem, sugerindo um final para esta rivalidade, que já vinha sendo considerada "infantil" pelos fãs dos dois.


Rappers de Nova Iorque

Antes de lançar o álbum The Massacre, 50 Cent gravou a canção "Piggy Bank", uma resposta à canção "New York", de Ja Rule, que vazou na internet antes do lançamento do álbum. Nesta canção, 50 Cent atacou os rappers nova-iorquinos Fat Joe, Nas e Jadakiss. Joe respondeu a música com "My Fofo", onde ele acusou Jackson de utilizar esteroides, esconder-se em sua casa e ter ciúmes de Game.Jadakiss também respondeu com a canção "Checkmate", onde ele acusou 50 Cent de criar um rumor para promover seu novo álbum. O videoclipe de "Piggy Bank" retrata caricaturas animadas de Jadakiss (como uma Tartaruga Ninja), Fat Joe (como um lutador peso-pesado de boxe que é nocauteado), Nas (como uma criança que persegue um caminhão de milkshake vestido de Super-Homem) e The Game (como Mr. Potato Head). Kelis, cantora de R&B e esposa de Nas também respondeu a "Piggy Bank" com o single Bossy.Jackson também falou negativamente de Sean "Diddy" Combs, magnata da Bad Boy Entertainment e gravou uma música, "Hip Hop", onde ele revela o motivo dos seus sentimentos negativos: em primeiro lugar, uma disputa sobre o contrato de Mase. Na canção, ele deixou implícito que Diddy sabia sobre o assassinato de Notorious BIG e ameaçou denunciá-lo através de ex-associados. A rivalidade foi resolvida, com ambos os rappers aparecendo nos programas Total Request Live e Sucker Free, da MTV, onde não foi constatado um problema maior.

Em 1 de fevereiro de 2007, 50 Cent e Cam'ron tiveram uma discussão ao vivo no programa The Angie Martinez Show da emissora de rádio Hot 97. 50 Cent comentou que a Koch Entertainment era um "cemitério", sendo que as maiores gravadoras não trabalhavam com os artistas que passavam por lá. Cam'ron, por sua vez, ridicularizou o recorde de vendas de Lloyd Banks e Mobb Deep, ambos da G-Unit, afirmando que Jim Jones, seu companheiro no grupo The Diplomats, vendia os discos para outras gravadoras. Ambos os cantores lançaram canções no estilo "diss" com videoclipes no YouTube. 50 Cent sugeriu em "Funeral Music" que Cam'ron não é capaz de liderar o The Diplomats e que Jim Jones deveria tomar o seu lugar. Cam'ron respondeu com "Curtis" e "Curtis Pt. II", onde ele faz zombaria da pessoa e da aparência de 50 Cent, chamando-o de "um gorila com dentes de coelho". Para finalizar, 50 Cent lançou "Hold On" com Young Buck.

The Game

50 Cent começou uma rivalidade com o rapper The Game - com quem ele trabalhava junto - após o lançamento do álbum The Documentary. 50 Cent achou que Game foi desleal, pois ele não participava das brigas do G-Unit com outros rappers, e ainda queria trabalhar com os inimigos do grupo. Ele também alegou que escreveu seis das dezoito músicas e não recebeu o devido crédito, afirmação negada por Game.

Mais tarde, 50 Cent demitiu Game do G-Unit ao vivo na emissora de rádio Hot 97. Após este anúncio, Game, que havia sido convidado para entrar em um edifício no início da noite junto com os seus guarda-costas teve a entrada negada. Um dos sócios de Game acabou sendo baleado na perna durante um confronto com um grupo de homens que estava saindo do prédio. Quando a situação se aliviou, ambos os rappers convocaram uma conferência de imprensa para anunciar a sua reconciliação. Os fãs desconfiaram se isto não era apenas mais uma jogada de marketing para impulsionar o lançamento dos álbuns dos dois músicos. Mesmo após a situação ser praticamente esquecida, o G-Unit criticou as atitudes de Game e anunciou que não iria mais participar nos próximos álbuns que ele lançasse. Durante uma performance em um evento de hip hop, Game lançou um boicote do G-Unit chamado "G-Unot". Após esta atuação, Game ainda lançou "300 Bars and Runnin'", uma faixa "diss" atacando o G-Unit e membros da Roc-A-Fella Records, em sua mixtape You Know What It Is Vol. 3. 50 Cent respondeu com um videoclipe de "Piggy Bank", onde ele mostra Game como Mr. Potato Head e ironiza outros rivais seus Desde então, ambos os rappers continuam atacando um ao outro.

The Game lançou outras duas mixtapes ironizando o G-Unit: Ghost Unit e Stop Snitchin, Stop Lyin. 50 Cent postou na capa da mixtape "Hate It or Love It (G-Unit Radio Part 21)" a cabeça de The Game no corpo de um stripper masculino, como resposta a The Game exibir fotos de Jackson vestido de Village People. Apesar de atualmente assinar contrato com a Aftermath Entertainment, The Game saiu da G-Unit Records para entrar na Geffen Records, encerrando todas as suas obrigações contratuais com o G-Unit, apesar de fontes afirmarem que 50 Cent foi pressionado por Dr. Dre para expulsá-lo. Spider Loc, membro do G-Unit, também começou a insultar The Game em diversas canções. Ele respondeu com "240 Bars (Spider Joke)" e "100 Bars (The Funeral)", ambas faixas de ataque. A resposta de Jackson foi "Not Rich, Still Lyin'", onde ele zomba de Game. Lloyd Banks resolveu participar da rivalidade, atacando a The Game em um freestyle rap na televisão; obteve como resposta a faixa "diss" SoundScan, onde é ridicularizado junto com seu álbum, Rotten Apple, o qual havia caído treze posições no Billboard 200 e obteve fraquíssima venda na segunda semana. Banks retrucou com "Showtime (Over The Game)", na mixtape Mo' Money In The Bank Pt. 5: Gang Green Season Continues, onde ele zomba de Game e seus pensamentos suicidas.

Em outubro de 2006, The Game sugeriu à 50 Cent selar as pazes, fato que não obteve resposta. No entanto, alguns dias mais tarde, na emissora de rádio Power 106, ele afirmou que isto valia somente para aquele dia. No próximo álbum de Game, Doctor's Advocate, em algumas faixas ele deixou claro que a disputa com o G-Unit ainda persiste. Em julho de 2009, The Game afirmou que a rivalidade foi encerrada com a ajuda de Michael Jackson e Diddy, e pediu desculpas pelas suas ações durante a briga. Tony Yayo, também membro do G-Unit, disse que nem 50 Cent nem o grupo aceitaria seu pedido. Desde então, The Game continuou com a antiga paródia "G-Unot" nas suas atuações ao vivo. 50 Cent lançou "So Disrespectful" no seu álbum Before I Self Destruct, outra canção no estilo "diss", onde ele ataca Game, Jay-Z e Young Buck.


Rick Ross

Em janeiro de 2009, Rick Ross iniciou uma rivalidade com 50 Cent, porque este supostamente olhou de forma mal-encarada para ele durante o BET Awards. No entanto, Jackson afirmou que não se lembra de ter visto Ross no evento. No final deste mês, vazou na internet a canção "Mafia Music", de Rick Ross, a qual possuía vários trechos que difamavam 50 Cent. Poucos dias depois, houve a resposta, com a canção "Officer Ricky (Go Head, Try Me)" de Jackson. No dia seguinte, Ross apareceu na rádio Shade 45, do rapper Eminem, e afirmou que em 48 horas apareceria com uma canção melhor.

Antes de ir para a Venezuela, 50 Cent gravou um videoclipe intitulado "Warning Shot", onde ele avisa Ross: "Eu estou fodendo com sua vida só por diversão". Em adição, ele começou a produzir diversos quadrinhos sobre a canção "Officer Ricky". No início de fevereiro, 50 Cent enviou mais um vídeo para o YouTube onde ele entrevista "Tia", a mãe de um dos filhos de Ross. Ela concorda com as palavras de 50 Cent e afirma que "Rick é falso e fraudulento". Em 5 de fevereiro, Game, com quem 50 Cent possui uma longa rivalidade, foi entrevistado na Seattle's KUBE 93 Radio Station. Quando perguntado sobre a briga entre 50 e Ross, ele afirmou que a situação não estava boa para o lado de Rick, mas que estaria disposto a ajudá-lo.

No seu álbum Deeper Than Rap, Rick Ross faz outra referência à Jackson, desta vez na canção "In Cold Blood" e de forma mais pesada. O videoclipe da música retrata um funeral de 50 Cent. Após o lançamento do mesmo, Ross afirmou que acabou com a carreira de seu inimigo. Em uma entrevista, 50 Cent o comparou à Albert do filme CB4. Os dois não fizeram as pazes, mas não houve mais provocações de ambos os lados.


Outras rivalidades

Bang 'Em Smurf e 50 Cent foram amigos muito próximos por bastante tempo. Quando Bang 'Em Smurf foi preso por posse indevida de arma de fogo, ele esperava que 50 Cent fosse pagar fiança para tirá-lo da cadeia, mas ele não foi. Bang teve de vender a casa de sua mãe para poder sair de trás das grades. Quando Smurf foi solto, ele e seu amigo Domination começaram a gravar diversas músicas para insultar 50 Cent. Ele respondeu com "These Niggaz Ain't Hood" e "Don't Go To Sleep."

Depois de ouvir de algumas fontes que Lil' Wayne teria preparado uma música para atacar 50 Cent após este fazer algumas observações fortes sobre a pessoa de Wayne. 50 atacou Wayne pela primeira vez em 17 de agosto de 2007 com a canção "Part Time Lover". Wayne nunca respondeu a esta faixa, apesar de 50 Cent lançar outra faixa neste estilo "diss" sobre Lil, intitulada "Louisianimal", a qual vazou na internet muito mais tarde, em 17 de novembro de 2008. Jackson continuou e lançou em 2009 uma nova música, chamada "Play This On The Radio". A rivalidade entre os dois foi encerrada em 14 de agosto de 2009, após 50 Cent ter participado do Lil Wayne's America's Most Wanted Musical Festival em Anaheim, Califórnia, onde apareceu e cantou diversas músicas.

Após inúmeros boatos de uma "rivalidade" dentro do G-Unit, 50 Cent oficialmente demitiu Young Buck do grupo em 2008. Mas mais tarde, ele declarou que Buck ainda estava em contrato com a gravadora. Posteriormente, várias canções caluniosas surgiram na internet de ambos os rappers, sendo que Young Buck apareceu em um videoclipe com seu ex-rival The Game. Ainda, vazou uma conversa telefônica gravada entre Jackson e Buck, que mostrou dois dos verdadeiros motivos para a expulsão do último: a falta de pagamento do salário de Buck e uma dívida que Jackson mantinha com o rapper do sul. Buck mais tarde afirmou que esta conversa foi gravada um ano antes do seu vazamento. Os dois músicos lançaram uma infinidade de canções atacando o outro, até que em 2009, Buck declarou que está na produção de um novo álbum, o qual será lançado sob o selo G-Unit Records.


Ação judicial

Em 21 de julho de 2007, 50 Cent entrou com um processo de legal de US$ 1 milhão contra a publicidade da empresa Traffix Inc., de Nova Iorque, alegando que ela usou sua imagem em uma promoção que ameaçava a sua segurança. Ele tomou conhecimento do anúncio na internet após que um dos membros do G-Unit localizou a imagem em um MySpace. De acordo com os documentos judiciais, a imagem apresentava a foto do rapper e a seguinte mensagem: "Atire no rapper e você ganhará $ 5000 ou cinco toques para celular".

Embora o anúncio não use seu nome, a imagem alegadamente é destinada para ser assemelhada com a sua figura, sugerindo que o próprio 50 Cent aprovou este anúncio. O processo chama de "vil, insípido e desprezível" o modo com que foi utilizada a imagem de 50 Cent, que "literalmente apela na violência com ele". A ação busca punições ainda não especificadas para a empresa e uma injunção permanente com o uso de sua pessoa sem a devida permissão.


Discografia

Álbuns de estúdio



Guess Who's Back (2002)
Get Rich or Die Tryin' (2003)
The Massacre (2005)
Curtis (2007)
Before I Self Destruct (2009)
Animal Ambition (2014)
Street King Immortal (2014)


Mixtapes

50 Cent Is the Future (2002)
No Mercy, No Fear (2002)
God's Plan (2002)
Automatic Gunfire (2003)
Bulletproof (2006)
Sincerely Yours, Southside (2008)
War Angel LP (2009)
Forever King (2009)
Blood On The Sand (The Soundtrack) (2009)
The 50th Law of Power (2009)
The Big 10 (2011)
Street King Energy (2013)
The Lost Tape (2012)
5 (Murder by Numbers) (2013)
"The Kanan Tape" (2015)

Filmografia

AnoFilmePapelNotas
200350 Cent: The New BreedEle mesmoDocumentário
2005The SimpsonsEle mesmoSérie de TV (um episódio: "Pranksta Rap")
Get Rich or Die Tryin'MarcusEstreia em filme; filme sobre sua biografia
50 Cent: BulletproofEle mesmoVideo game, apenas voz
2006Home of the BraveJamal AikenPapel de apoio
2007De La Hoya/Mayweather 24/7Ele mesmoSérie de TV (um episódio: "Episódio #1.1")
6teenEle mesmoSérie de TV (um episódio: Temporada 3, episódio 1: Sweet 6teen)
2008Righteous KillSpiderPapel de apoio
Before I Self DestructClarencePapel de apoio
50 Cent: The Money and the PowerEle mesmoSérie de TV (um episódio: "Choose Your Crew Wisely")
200950 Cent: Blood on the SandEle mesmoVideo game, apenas voz
Streets of BloodStan JohnsonCompletado
EntourageEle mesmoSérie de TV (um episódio: "One Car, Two Car, Red Car, Blue Car")
Call of Duty: Modern Warfare 2SoldierVideo game, apenas voz
Dead Man RunningThigoPós-produção
Caught in the CrossfireTinoPós-produção, produtor executivo
201013JimmyPós-produção
The DanceNão anunciadoPré-produção
Love Me, Love Me NotEle mesmoPré-produção
The Ski Mask WaySevenPré-produção
TwelveLionelPós-produção
Morning GloryEle mesmoEm produção
2011GunRichCompletado
Blood OutHardwickPós-produção
VengeanceEle mesmoPós-produção
Set upSonnyPós-produção
All Things Fall ApartDeonCompletado
2012FreelancersJonas MaldonadoPós-produção
2013Escape PlanHushEm Produção
2013The Frozen GroundClate
2014PowerKananSérie de tv
2015SpyEle mesmoFilme
2015SouthpawJordan MainsCompletado
2016The Pursuit?Em produção






Rap na Parada - Curiosidades de 50 Cent


A mãe de 50 cent foi assassinada quando ele tinha 8 anos, ela traficava drogas.
Contribuição de victoria


50 cent levou 9 tiros e um fragmento de uma bala está até hoje alojado na língua dele.
Contribuição de Fred


A Musica favorita de 50 Cent é MANY MAN, do album Get Rich Or Die Tryng.
Contribuição de Kassiel


50 Cent diz ter se inspirado em "Ja Rule" para fazer a musica WANKSTA , do album Get Rich Or Die Trying
Contribuição de Kassiel


50 Cent foi detido pela primeira vez em sua escola, com crack escondido no tênis.
Contribuição de Kassiel


50 Cent Tem a tatuagem do numero 50 nas costas
Contribuição de Kassiel


50 Cent Foi criado no Queens por seus avós
Contribuição de Pette


Disputa de vendas entre 50 e Jay-Z não acontecerá
Contribuição de joaomanoel


A mansão de 50 Cent tem 39 banheiros, 19 quartos e uma boate. 50 já fez muitas festas no casarão, entre elas a comemoração do lançamento do álbum ?The Massacre?, que reuniu mais de 600 convidados.
Contribuição de LadyShady


50 Cent teve reduzir em US$ 4 milhões o preço de sua mansão. O valor inicial de sua residência localizada em Los Angeles era de US$ 18 milhões. Faz seis anos que o cantor tenta vender sua propriedade, mas nenhum comprador chegou perto de sua proposta.
Contribuição de LadyShady


50 Cent começou a vender Crack com apenas 12 anos
Contribuição de joaomanoel



50 Cent ja atuou em varios filmes , os filmes foram: " Fique rico ou morra tentando" (2005) " A volta dos bravos" (2007) " As duas faceis da lei " (2008) " Ruas sangrentas" (2009)
Contribuição de So50


A G-Unit começou quando os amigos de infância 50 Cent, Lloyd Banks e Tony Yayo, ligados pelas ruas e pelo tráfico de drogas decidiram formar um grupo.
Contribuição de Kassiel


50 Cent é fã de Susan Boyle. Em entrevista para o jornal britânico "Daily Mirror", o rapper até disse que gostaria de gravar um dueto com a escocesa.
Contribuição de maggiesimpson


50 Cent envolveu-se em várias brigas e discussões com outros rappers incluindo Ja Rule, Fat Joe, Jadakiss, Cam'ron, Rick Ross e os ex-membros do G-Unit The Game e Young Buck!!!
Contribuição de Famousgirl


Em 2005, 50 Cent fez uma aparição no episódio "Pranksta Rap" da série Os Simpsons, onde ele falava de seus problemas jurídicos
Contribuição de Famousgirl


O tiro que o 50 Cent levou na mandíbula mudou a voz dele, que ficou com um som único
Contribuição de YaraMaria


No dia 24 de maio de 2000 o 50 Cent levou 8 tiros nas pernas e um na mandíbula
Contribuição de YaraMaria


O álbum Get Rich or Die Tryin', de 2003, teve que ser lançado 5 dias antes do que o programado para frustrar os piratas
Contribuição de YaraMaria


O nome verdadeiro do 50 Cent é Curtis Jackson. Ele nasceu no Queens, em Nova York.
Contribuição de YaraMaria


Ele foi preso no dia 31 de dezembro de 2002 por ter duas armas descarregadas no carro. Ele foi indiciado por posse criminosa de arma.
Contribuição de YaraMaria


Fonte: www.letras.com.br



50 Cent é canhoto.

Seus negócios com o crack chegavam a render cerca de $5.000 por dia, mas 50 viu no rap uma forma de sair do caminho das drogas e começou a se apresentar em festas.


Sua grande oportunidade veio através de Jam Master Jay, qua assinou 50 Cent com sua gravadora JMJ em 1996.

Sobre o falecido Master Jay, 50 Cent diz: “Jay me ensinou sobre linhas, me ensinou a escrever refrões e seus propósitos, além de me ensinar a escrever e criar músicas. Ele fez com que eu realmente tivesse vontade de fazer rap”.

Depois de atrair atenção dos produtores “Trackmasters” em 1999, 50 Cent assina com a Columbia Records por $250,000.

Em apenas duas semanas, 50 Cent gravou trinta e seis músicas. Algumas foram parar em seu LP de estréia, “Power of a Dollar”. O álbum foi julgado pela Blaze Magazine como um clássico.

No verão de 1999, seu primeiro single é lançado. “How To Rob”, uma engraçada faixa que ironiza as principais celebridades do momento, incluindo Mariah Carey, Master P, Timbaland e Jay-Z. Nem todo mundo achou graça de “How To Rob”. Jay-Z, o falecido Big Pun, Sticky Fingaz e Ghostface Killah responderam a música.

Na primavera de 2000, 50 Cent foi baleado no rosto, mão e pernas por um homem que portava uma nove milímetros. Ele sobreviveu a um total de nove tiros. 50 Cent foi demitido da Columbia após o ocorrido.

De acordo com 50 Cent, a treta com Ja Rule e a Murder Inc. teria começado porque um conhecido seu teria roubado Ja Rule, que por sua vez se queixou com um grande traficante do Queens.

Depois de sair da Columbia, 50 cent começou a se dedicar aos bootleggers, que atrairam a atenção de muitos fãs, incluindo Eminem, que revelou em uma rádio de Los Angeles que 50 Cent era seu rapper favorito.

50 Cent assinou com a Shady/ Aftermath de Eminem por $1 milhão.

Seu primeiro single na Aftermath, “Wanksta”, foi lançado primeiro na trilha sonora de 8 Mile.

Três seguranças não são o suficiente para proteger 50 Cent. Ele sempre carrega um colete a prova de balas, religiosamente.

O SUV de 50 cent é a prova de balas e bombas.

50 Cent nunca teve um “trabalho de verdade”.